Menina que sobreviveu a ataque de puma nos EUA deixa UTI e caminha no hospital

WHASINGTON — Lily Kryzhanivskyy, a menina de 9 anos que sobreviveu a um ataque de puma em Fruitland, Washington, Estados Unidos, está se recuperando bem no hospital. Nesta quarta-feira, a família informou que a criança recebeu alta da UTI e vai continuar o tratamento em um quarto comum no hospital. Lily conseguiu caminhar sozinha na unidade de saúde, coloriu alguns desenhos e até cantou uma música com uma enfermeira.

"Ainda há um longo caminho para a recuperação, mas Lily não desiste. Obrigado pelo apoio e orações", informou a família na página de vaquinha online Gofundme criada pelo tio da menina, Alex Mantsevich, para ajudar nas despesas médicas com a criança. A campanha arrecadou US$ 89,4 mil até a manhã desta quinta-feira.

Lily sofreu o acidente na manhã de sábado, quando ela e dois amigos faziam um passeio por uma trilha perto de um acampamento. A garota lutou com o animal enquanto seus amigos correram para se salvar e pedir ajuda. Adultos que estavam no local encontraram a vítima coberta de sangue e a socorreram.

A porta-voz do departamento de Pesca de Vida Selvagem da região, Staci Lehman, ressaltou que os ataques de pumas são raros. Apenas duas mortes foram registradas no último século no estado de Washington.

— Neste caso, essa garotinha não fez nada de errado. Aconteceu tão rápido e não havia nada que ela pudesse ter feito para evitar isso — disse à AP.

Lehman explica que qualquer pessoa confrontada por uma puma deve gritar com o animal e tentar parecer maior do que ele. Em caso de ataque, é importante tentar ao máximo ficar de pé. A pessoa não deve se virar, correr ou tirar os olhos do animal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos