Menina “roubada” pelo pai após férias é devolvida à mãe após mais de 100 dias desaparecida

·1 min de leitura
Marina e Isadora - Foto: Arquivo Pessoal
Marina e Isadora - Foto: Arquivo Pessoal
  • Isadora estava há 100 dias sem contato com a mãe, Marina Pedroso

  • A garota foi encontrada com o avô paterno em uma rodovia em Mato Grosso do Sul no domingo

  • Intimada, a família paterna devolveu a criança à mãe 

A pequena Isadora Praeiro Pedroso Ardevino, de apenas 8 anos, finalmente foi devolvida à mãe na última segunda-feira (8), após mais de 100 dias desaparecida. As informações são do G1.

Isadora estava sem contato com Marina Pedroso desde julho, quando passou as férias com o pai, o advogado João Vitor Almeida Praeiro Alves. Ele deveria ter devolvido a garota para a mãe após o período, mas não o fez.

A menina foi encontrada junto ao avô, Air Praeiro, no último domingo (7), em uma rodovia em Mato Grosso do Sul. Eles estavam indo rumo a Cuiabá.

Na ocasião, Air foi intimado a devolver Isadora a Marina em até 48 horas, sob pena de pagamento de multa de R$ 50 mil caso descumprisse a norma.

Agora, a família materna da garota informou que a criança, enfim, está com a mãe, o irmão caçula e os avós maternos.

Guarda para a mãe da garota

A desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) havia determinado a guarda unilateral de Isadora para Marina na última sexta-feira (5).

Garota estava com o avô - Foto: Arquivo Pessoal
Garota estava com o avô - Foto: Arquivo Pessoal

Anteriormente, a guarda estava com Air desde o dia 19 de outubro, quando a menina já estava desaparecida.

Nilza considerou que o pai da criança mostrou-se alheio e ignorou todas as decisões da Justiça ao não entregar Isadora de volta à mãe mesmo sendo obrigado judicialmente a isso.

"Além de constar a infante no Cadastro de Desaparecidos, se verifica que o genitor é um perigo para o desenvolvimento da criança diante das atitudes tomadas até agora, e não se sabe quais outras pode tomar para atingir seus interesses egoísticos", diz trecho da decisão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos