Meninas alemãs desaparecidas são devolvidas a seus pais no Paraguai

As duas meninas alemãs de 10 e 11 anos registradas como desaparecidas em seu país foram devolvidas nesta quinta-feira (9) no Paraguai a seus responsáveis e retornarão o quanto antes à Alemanha, anunciou o chefe da polícia anti-sequestros do país sul-americano.

"As menores já se encontram com seus pais sãs e salvas", disse o comissário Nimio Cardozo em uma coletiva de imprensa.

A menina Clara Egler foi entregue a sua mãe Anne Reiniger, enquanto Lara Blank foi entregue a seu pai Filip Blank, nas Ruínas de Trindade, um lugar turístico perto da cidade de Encarnación, 400 km a sudeste de Assunção, informou Cardozo.

As crianças chegaram ao Paraguai em 27 de novembro do ano passado com seus outros pais, sem o consentimento de Anne e Filip. Andreas Rainer Egler, de 46 anos, e sua esposa Anna Maria Egler (cujo sobrenome de solteira era Scharpf), de 35, viajaram com suas filhas, respectivamente, Clara (10) e Lara (11).

A mãe de Clara e o pai de Lara foram para o Paraguai em maio para realizar a denúncia. Os pais fugitivos então entraram em contato com as autoridades locais e após vários dias de negociações, houve a entrega das menores nesta quinta, segundo a polícia.

"As meninas estão muito bem", disse à AFP o comissário Cardozo. "Não foi realizada nenhuma operação nem destaque de agentes, para que o encontro fosse o mais natural o possível, evitando qualquer situação traumática para as crianças", ressaltou.

Andreas Rainer Egler e Anna Maria Egler ficaram à disposição da Promotoria para averiguações. "Eles entraram legalmente no Paraguai, mas também têm um processo aberto na Alemanha", disse o chefe policial.

"O senhor e a senhora Egler se apresentaram voluntariamente às autoridades policiais e fiscais. Entregaram as meninas à Defensoria da Infância, que ficará responsável pela assistência psicológica e a proteção das menores. Elas estão sendo bem atendidas", garantiram em um comunicado os advogados dos pais que buscavam suas filhas, Stephan Schultheiss e Ingo Bott.

"A busca pública acabou. Os pais envolvidos pedem encarecidamente que sua intimidade seja respeitada, assim como a de suas filhas", acrescenta a nota, ao indicar que as famílias não fornecerão mais informações à imprensa.

A entrega das crianças ocorreu após vários apelos públicos especialmente por parte de Anne Reiniger, mãe de Clara.

hro/nn/lbc/ic

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos