Menino de 10 anos morre após sofrer descarga elétrica em escola no litoral paulista

ALFREDO HENRIQUE
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um menino de 10 anos morreu após sofrer uma descarga elétrica dentro de uma escola estadual em São Vicente (65 km de SP), neste domingo (25).O acidente ocorreu por volta das 17h30 depois que Cristian Silva Santos entrou na unidade de ensino, que estava fechada, com outros menores para jogar futebol. O pai do garoto, cuja identidade não foi informada, afirmou à prefeitura que o filho teria sofrido uma descarga elétrica assim que encostou em um poste energizado, quando jogava futebol com outros garotos na Escola Estadual Governador Mário Covas Júnior, no bairro Parque das Bandeiras. Logo após o choque, a criança foi levada por parentes, já inconsciente, ao pronto-atendimento da região. A Prefeitura de São Vicente, gestão Kayo Amado (Podemos), afirmou que o garoto deu entrada na unidade de saúde sofrendo uma parada cardiorrespiratória. "A equipe de emergência realizou manobras para ressuscitar o paciente, que infelizmente não resistiu e foi a óbito", diz trecho de nota. O delegado Norberto Bergamini, titular do 3º DP de São Vicente, afirmou ao Agora, no início da tarde desta segunda-feira (26), que investiga como a criança entrou na escola e também de quem é a responsabilidade pelo poste estar energizado. "O que sabemos até o momento é que o menino entrou na escola, de alguma forma encostou em um poste, tomou choque e infelizmente morreu. Agora apuramos a responsabilidade do que aconteceu: se a descarga elétrica ocorreu por falta de manutenção, ou por outros motivos como furto de fios. Por hora, estamos na fase de apuração e não há como apontar culpados", explicou. O policial disse ainda que o Instituto de Criminalística e técnicos da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz) estiveram na escola, logo após o acidente, para analisar o poste energizado. Bergamini acrescentou que os investigadores do 3º DP procuram imagens que possam ajudar a entender como os garotos entraram na escola. A Secretaria Estadual da Educação, gestão João Doria (PSDB), lamentou o caso e afirmou que "todos os procedimentos estão sendo tomados no local". A pasta ressaltou que a unidade de ensino estava trancada, como acontece em todos os fins de semana. A morte da criança foi incluída no sistema do Programa Conviva, usado para monitorar a rotina das escolas da rede estadual. O Conselho Tutelar também foi acionado para acompanhar o caso. Por causa da ocorrência, as aulas presenciais foram suspensas na escola nesta segunda-feira "para que todas as garantias de segurança sejam tomadas", diz trecho de nota da Educação, acrescentando que seu Gabinete de Segurança presta apoio à unidade escolar, incluindo psicólogo. O garoto não estava matriculado na rede municipal de ensino de São Vicente, segundo a prefeitura e também não estudava na escola onde sofreu a descarga elétrica, segundo o governo estadual. A CPFL Piratininga lamentou a morte da criança, acrescentando que o poste estava de fato energizado, mas que a manutenção dele seria de responsabilidade da administração da escola. "As equipes orientaram a escola a desligar o disjuntor de toda a energia da escola e providenciar com urgência reparos no poste, para garantir a segurança de todos", diz trecho de nota.