Menino é espancado por mãe e padrasto após "bagunça" e fica com 8 costelas quebradas

Menino foi espancado pela mãe e o padrasto em São Vicente-SP - Foto: Getty Images
Menino foi espancado pela mãe e o padrasto em São Vicente-SP - Foto: Getty Images
  • Menino foi espancado pela mãe e o padrasto dentro de casa em São Vicente

  • Mulher aparece dizendo que agrediu a criança porque estava bagunçando

  • Garoto foi internado e diagnosticado com oito costelas quebradas, além de um braço

Um garoto de apenas 5 anos foi espancado pela própria mãe e o padrasto na cidade de São Vicente, litoral de São Paulo. Como resultado, a vítima teve oito costelas fraturadas.

De acordo com informações do g1, o caso aconteceu no fim do mês passado, durante uma visita do garoto à mãe.

Segundo a tia paterna da vítima, Jéssica dos Santos, de 31 anos, o menino vive com o pai e vai para a casa da mãe, junto das irmãs, a cada 15 dias.

Ela relatou que o pai das crianças vinha encontrando dificuldades para buscá-las nos últimos tempos, uma vez que a ex-esposa vinha impedindo sua aproximação.

Até que, no dia 28 de setembro, Jéssica recebeu a notícia de que o sobrinho estava machucado e com diversos hematomas.

"Soubemos que o marido da mãe dele [padrasto] o levou enrolado em um lençol para a casa dos pais dele [pais do padrasto] e que eles tinham levando meu sobrinho para o hospital. Na hora, ficamos perdidos sem entender direito o que estava acontecendo", contou ao g1.

Jéssica e o irmão foram ao hospital e levaram um susto ao ver o estado da criança, que, além das lesões na costela, tinha um braço fraturado.

Devido à gravidade das lesões, o garoto precisou ser transferido para a UTI da Santa Casa de Santos. Não foram divulgadas atualizações sobre seu quadro.

Mãe gravou vídeo

A mãe da vítima chegou a gravar um vídeo depois de espancá-la com o companheiro. Nas imagens, ela aparece dizendo que o garoto apanhou porque "bagunçou".

"Está rangindo? Tu está rangindo e virando a cabeça? Dentro da minha casa você não vai fazer bagunça. Você não vai fazer bagunça", diz à criança encostada na parede.

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) disse que não foi chamada para essa ocorrência. Já a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou que o caso foi registrado como lesão corporal e abandono de capaz e é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher.