Menino feito refém por padrasto há mais de 12 horas é autista e tem epilepsia

Menino de 7 anos é feito refém em casa em BH - Foto: Reprodução
Menino de 7 anos é feito refém em casa em BH - Foto: Reprodução
  • Menino é feito refém pelo ex-padrasto há mais de 12 horas em sua casa, em Belo Horizonte

  • Segundo parentes, o garoto é autista e sofre de epilepsia

  • Preocupação é de que ele não tenha tomado os remédios necessários durante o sequestro

O menino de apenas 7 anos feito refém pelo ex-padrasto desde a tarde da última quarta-feira (21), em Belo Horizonte, é autista e tem epilepsia.

A informação foi passada por parentes da criança a veículos de imprensa locais. Os familiares mostraram preocupação com a possibilidade de a vítima não ter tomado os remédios necessários em meio ao sequestro.

Leandro Mendes, de 39 anos, mantém o ex-enteado e um amigo da ex-namorada reféns na casa da mulher desde as 18 horas de quinta-feira. O crime se desenrola no bairro Parque São Pedro, em Venda Nova.

O sequestrador teria agido por não aceitar o término do relacionamento com a dona da casa. Ela conseguiu fugir no momento da invasão do rapaz, mas seu filho e o amigo ficaram sob a mira do criminoso.

Há mais de 12 horas, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) negociam a liberação das vítimas. O entorno da casa está cercado para evitar uma eventual fuga do suspeito.

Os ex-namorados, que são primos, teriam se separado há dois anos. No entanto, o homem não aceita o término, segundo testemunhas. Ele tem passagem pela polícia por matar uma outra ex-companheira e estaria em liberdade condicional.

Mãe e pai aflitos

Daniela Félix, de 43 anos, mãe do homem mantido refém com a criança, disse a uma reportagem local, que as famílias das vítimas vivem momentos de tensão desde a noite de quarta.

“É angustiante, o tempo vai passando e não recebemos nenhuma notícia. Só quero ver meu filho”, disse.

Sidney Xavier, pai do menino, que estava trabalhando no momento em que o homem invadiu a casa, contou que recebeu um telefonema da mãe da criança. Ela estava desesperada.

“Vim correndo. A única notícia que eu tenho aqui é que o padrasto está ameaçando, que se (alguém) entrasse lá ia matar todo mundo”, contou o motorista.