Menor robô do mundo tem forma de caranguejo e pode entrar no corpo humano

Dispositivos são menores que uma pulga (Getty Images)
Dispositivos são menores que uma pulga

(Getty Images)

  • Menores robôs do mundo têm formato de caranguejo;

  • Controlados de forma remota por laser, dispositivos andam, torcem, dobram e pulam;

  • Suas características podem ajudar a acabar com tumores cancerígenos e outros feitos.

Com tamanho inferior ao de uma pulga, os menores robôs do mundo parecem mais com um exército de pequenos caranguejos. Criados por cientistas da Northwestern University, nos Estados Unidos, os dispositivos são controlados de forma remota e capazes de andar, torcer, dobrar e até pular.

Ainda que esteja em fase de testes, o projeto é visto com otimismo pelos engenheiros responsáveis. Segundo John A. Rodgers, que liderou o experimento, os robôs serão especialmente úteis na realização de tarefas em locais extremamente pequenos e, além de consertar e montar itens, também podem contribuir grandemente para a área médica, já que poderiam entrar em artérias para conter sangramentos e até mesmo se livrar de tumores cancerígenos.

Como os robôs são formados

Os pesquisadores usaram uma liga com efeito memória de forma, que nada mais é do que uma liga metálica que retorna ao formato original depois de aquecida. Eles, então, a aqueceram com laser para criar seu formato e, depois de resfriada, uma camada de vidro foi aplicada para remodelar a área distorcida.

O processo repetiu-se várias vezes, permitindo que os robôs se mexessem em estado ‘deformado’ até que fossem capazes de concluir uma série de movimentos. Agora, o laser segue sendo utilizado para controlá-los de forma remota.

A simplicidade da tecnologia contribui, e muito, com o tamanho dos robôs. Como não possuem nenhum sistema robusto, como hidráulica, por exemplo, foi possível mantê-los em um formato bem pequeno e flexível – característica importante para a execução de tarefas complexas.

Curiosamente, a inspiração para o projeto saiu de um livro infantil com desenho pop-up – aqueles que estão em 3D e ‘saltam’ para fora quando a pessoa abre na página em que está. A forma com que as imagens pulam na frente do leitor e podem ser dobradas de volta criou uma pequena faísca na cabeça de Rodgers e sua equipe, que utilizaram a ideia para criar os pequenos caranguejos.

A novidade foi relatada, pela primeira vez, na revista Science Robotics.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos