Mensagem de "lei e ordem" de conservador chileno ecoa em províncias rurais

·1 min de leitura
Família posa para foto ao lado de imagem do candidato presidencial conservador José Antonio Kast em Yumbel, Chile

Por Natalia A. Ramos Miranda

SANTIAGO (Reuters) - Nas regiões rurais do interior do Chile, a mensagem do candidato presidencial conservador José Antonio Kast sobre a importância de se combater o crime e a imigração ilegal está ecoando.

Kast, comparado com frequência ao presidente Jair Bolsonaro, encontra uma plateia receptiva para sua mensagem de "lei e ordem", o que lhe garantiu a primeira posição no primeiro turno da eleiçao presidencial chilena no domingo.

Trata-se de um problema para o candidato de esquerda Gabriel Boric, que ganhou proeminência como líder de protestos estudantis, mas precisa convencer mais do que sua base de eleitores jovens e urbanos se quiser triunfar no segundo turno de 19 de dezembro.

Com suas visões radicalmente diferentes para o futuro do Chile, Kast e Boric se enfrentarão na etapa decisiva, e o primeiro tem um ligeiro favoritismo.

Sua mensagem de "lei e ordem" será crucial. Muitos chilenos dizem estar cansados do crime, da imigração ilegal e dos tumultos. Protestos frequentes contra a desigualdade dos últimos anos deixaram as calçadas repletas de panfletos e pichações, e os moradores cansados.

As preocupações são particularmente fortes em regiões do extremo-norte chileno, que testemunham níveis altos de imigração, e nas províncias arborizadas do sul de lugares como La Araucania, hoje em estado de emergência devido a confrontos entre o Estado e grupos indígenas mapuche que exigem a devolução de terras ancestrais.

"As pessoas lá querem uma mão firme", disse Alberto Ceballos, de 42 anos, eleitor de Kast que mora em Nuble, uma região do sul, e trabalha com frequência em La Araucania.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos