Mensagens indicam que Bolsonaro negociou compra de vacinas com reverendo, diz revista

·2 minuto de leitura
BRASILIA, BRAZIL - JUNE 29: President of Brazil Jair Bolsonaro speaks during an event to launch a new register for professional workers of the fish industry at Planalto Government Palace on June 29, 2021 in Brasilia, Brazil. Health Minister, Marcelo Queiroga, announced after the event and in conversation with journalists, that the contract with the Covaxin vaccine is suspended. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Mensagens no celular de Dominguetti indicam que Bolsonaro teria se envolvido pessoalmente nas tratativas para compra de vacinas da Davati (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
  • Mensagens do celular de Dominguetti indicam que Bolsonaro se envolveu pessoalmente na tentativa de compra de supostas vacinas da Davati

  • O cabo da PM escreveu a um contato que Bolsonaro se encontrou com o reverendo Amilton Gomes de Paula

  • Mensagens estão em possa da CPI da Covid após aparelho de Dominguetti ser apreendido

Mensagens no celular do cabo da Polícia Militar Luiz Paulo Dominguetti mostram que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) negociou diretamente a compra de vacinas com o reverendo Amilton Gomes de Paula de forma não oficial.

O conteúdo das mensagens está em poder da CPI da Covid no Senado, que apreendeu o celular de Dominguetti, e foi revelado pela revista Veja.

Leia também

Apesar de não haver registro oficial na agenda de Jair Bolsonaro sobre o encontro com o reverendo, o presidente teria recebido Amilton Gomes de Paula para tratar das supostas 400 milhões de doses, envolvendo o pedido de propina de 1 dólar por dose.

As mensagens no celular de Dominguetti indicam que, em março, Bolsonaro cobrou pessoalmente documentos que permitiriam a compra das vacinas oferecidas pelo cabo da PM. Em uma conversa com um contato chamado “Rafael Compra Deskartpak”, Dominguetti pediu: “Manda o SGS. Urgente. O Bolsonaro está pedindo. Agora”. SGS é o documento que que assegura a procedência do produto.

Na resposta, Rafael negou. “Dominghetti, agora são 5 da manhã no Texas. E outra. Jamais será enviado uma SGS sem contrato assinado.”

Rafael é o mesmo contato que falou com Dominguetti sobre o envolvimento da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, no mesmo caso.

Dominguetti explicou, então, que o reverendo Amilton Gomes de Paula estava em situação difícil, especialmente por esse contato direto com Bolsonaro. “O reverendo está em uma situação difícil neste momento. Ofereceu a vacina no ministério. Presidente chamou ele lá”, escreveu o PM.

“O presidente tá apertando o reverendo. Ele está ganhando tempo. Tem um pessoal da Presidência lá para buscar o reverendo”, escreveu Dominguetti.

O suposta compra de 400 milhões de vacinas da AstraZeneca com a Davati como intermediária é investigada pela CPI da Covid. A farmacêutica garante que não trabalha com venda indireta de imunizantes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos