Mensagens revelam medo causado por agressor de procuradora

SP: Procuradora é agredida a socos por colega de trabalho (Foto: Reprodução)
SP: Procuradora é agredida a socos por colega de trabalho (Foto: Reprodução)

Semanas antes do procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, espancar a colega de trabalho na Prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, funcionários do local já estavam com medo e ansiedade por conta do comportamento do agressor.

Um vídeo, obtido pelo portal g1, mostra uma conversa entre Gabriela Samadello Monteiro de Barros, a agredida, e a agente administrativa Thainan Maria Tanaka, que também trabalha na administração municipal, por meio de um aplicativo de mensagens.

Na conversa, elas falam sobre episódios de agressividade e até destacaram como medida de segurança nunca estarem na repartição pública apenas na companhia do procurador.

"O doutor Demétrius acabou de vir aqui, era 17h33, a 'Pri' [funcionária] falou com ele: 'Voltou, doutor?', mas ele nem a respondeu. Foi direto na sua sala e, depois enfiou a cabeça na sala da doutora Kátia. Veio para 'quebrar o pau', estava transtornado!”, falou Thainan Maria Tanaka, funcionária da Prefeitura de Registro (SP), à Gabriela, procuradora agredida.

O portal g1 também revelou que Thainan  relatou que ela e mais dois colegas ficaram assustados com o procurador em um determinado dia. Um deles, chamado "Lucas", teria, inclusive, trancado uma das portas para evitar contato com o homem.

No dia 30 de maio, por sua vez, a procuradora-geral Gabriela, que viria a ser agredida semanas depois, relatou "medo" e disse que "precisava fazer alguma coisa". No decorrer da conversa, ela aponta ainda que pediria o afastamento de Macedo.

Segundo Thainan, ela foi dormir tarde por conta de "ansiedade" gerada pelo comportamento do colega. Gabriela disse que se sentia assim naquele momento e teve "tremedeira".

Por conta disso, elas resolveram estabelecer algumas regras para não terem riscos e trabalhar em tranquilidade: não trabalhar após o horário de expediente, trancar portas e manter a união dos demais funcionários visando proteção e até mesmo testemunhas em caso de eventual agressão foram as medidas colocadas em pauta.

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quinta-feira (23) o procurador Demétrius Oliveira de Macedo, que foi flagrado em vídeo agredindo a procuradora-geral Gabriela Samadello Monteiro de Barros, em Registro, no interior de São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos