Mercado corta previsão para o PIB em 2021 e 2022 e espera inflação maior

·4 minuto de leitura

As previsões do mercado para o Produto Interno Bruto (PIB) voltaram a cair tanto para este quanto para o próximo ano. É o que mostra o Boletim Focus, relatório semanal divulgado pelo Banco Central (BC) com as expectativas dos agentes financeiros. Ao final de 2021, a previsão passou para 5,27% ante os 5,28% do último relatório. E ao término de 2022, caiu de 2,04% para 2%.

Com relação à inflação, a revisão foi para cima. A estimativa é que o IPCA chegue a 7,11% ao final deste ano ante os 7,05% do relatório anterior. O número é bem superior ao teto da meta do governo, que é de 5,25%.

Para 2022, também houve avanço de 3,90% para 3,93%.

As perspectivas para a taxa básica de juros mantiveram-se inalteradas em 7,50% tanto para o fim deste ano quanto para o próximo.

Novidade:

Mesmo com um ambiente externo mais favorável, a Bolsa brasileira não conseguia se manter no terreno positivo. O noticiário interno conturbado, com temores pelo cenário fiscal e pelal crise institucional, pesava novamente no mercado de renda variável.

Leia:

O dólar até chegou a abrir o dia com baixa ante o real, mas o movimento perdeu força no início da tarde, com a divisa alternando leves altas e baixas.

Por volta de 12h35, a moeda americana era negociada a R$ 5,3931, alta de 0,24%. No mesmo horário, o índice Ibovespa cedia 0,59%, aos 117.354 pontos.

Após o fechamento do pregão de sexta-feira, ocorreu um novo episódio na série de confrontos entre o presidente Jair Bolsonaro e o Supremo Tribunal Federal (STF), com a entrega de um pedido de impeachment do ministro Alexandre de Morais.

O ato foi repudiado por autoridades do Judiciário e de diversos partidos políticos.

Com os recentes e constantes conflitos entre Bolsonaro e membros dos outros Poderes, há o receio de que a agenda de aprovação de reformas possa sofrer com novos obstáculos durante a tramitação.

Cuidado:

Na semana, há expectativa pela votação da reforma do imposto de renda (IR), após dois adiamentos, e pela apresentação do parecer da reforma administrativa.

No cenário externo, o destaque vai para o simpósio do Federal Reserve, Banco Central americano, em Jackson Hole, que deve começar na quinta-feira e será realizado de forma virtual.

Proteção:

Durante o encontro, os agentes de mercado irão buscar novas sinalizações sobre como a autoridade monetária planeja reduzir a compra de títulos e em que momento isso será realizado.

A ata da última reunião de política monetária do banco indicou que a retirada pode ocorrer ainda este ano.

Em nota matinal, analistas da Guide Investimentos destacam que os mercados globais ensaiam um início de semana positivo, aproveitando-se de ativos mais “baratos” após quedas recentes nas bolsas.

No entanto, eles ressaltam que o mercado local deve encontrar maiores dificuldades para se aproveitar do movimento, devido aos nossos problemas fiscais e políticos.

“Apesar de acreditarmos que há espaço para novas altas do Ibovespa nos níveis de preço atuais e com a recente descompressão dos mercados no exterior, a manutenção de um cenário de frágil para a economia local não deverá permitir uma recuperação mais robusta do índice no curto-prazo”, escreveram.

Leia também:

Entre as ações, as ordinárias da Petrobras (PETR3, com direito a voto) subiam 2,73% e as preferenciais (PETR4, sem direito a voto), 2,26%.

O movimento é influenciado pela alta do preço do petróleo negociado no mercado externo. Por volta de 12h45, no horário de Brasília, o contrato para outubro do petróleo tipo Brent subia 5,23%, negociado a US$68,59, o barril.

Já o contrato para outubro do tipo WTI avançava 5,39%, cotado a US$ 65,49, o barril.A alta expressiva ocorre após a commodity ter registrado a sua pior semana desde outubro de 2020.

As ordinárias da Vale (VALE3) cediam 0,35%.

As ordinárias da Siderúrgica Nacional (CSNA3) subiam 0,65% e as preferenciais da Usiminas (USIM5), 2,46%.

No setor financeiro, as preferenciais do Itaú (ITUB4) e do Bradesco (BBDC4) avançavam 0,60% e 0,53%, respectivamente.

Veja ainda:

As bolsas americanas operavam com alta. Por volta de 12h35, no horário de Brasília, o índice Dow Jones subia 0,77% e o S&P, 0,94%. Em Nasdaq, havia alta de 1,34%.

Na Europa, as bolsas operavam com sinal positivo. Também por volta de 12h35, em Brasília, a Bolsa de Londres subia 0,37% e a de Frankfurt, 0,33%. A Bolsa de Paris avançava 1,02%.

As bolsas asiáticas fecharam em alta. O índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, subiu 1,78%. Em Hong Kong, houve alta de 1,05% e, na China, de 1,45%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos