Mercado de ensino privado avança com procura por bolsa e expansão de escola mais barata

·1 min de leitura
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, 26/01/2021, BRASIL - PANDEMIA COVID-19 -15:03:18 -  As escolas particulares  estão voltando as aulas presenciais nesta terca (26). Geral da escola de educação infantil Tutto Amore, na zona leste. Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, 26/01/2021, BRASIL - PANDEMIA COVID-19 -15:03:18 - As escolas particulares estão voltando as aulas presenciais nesta terca (26). Geral da escola de educação infantil Tutto Amore, na zona leste. Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O mercado de ensino privado sinaliza novo fôlego após a volta das aulas presenciais com aumento na demanda e expansão da oferta.

A procura por matrículas no ensino básico subiu mais de 200% entre julho e setembro deste ano na comparação com o mesmo período de 2019, segundo o site Melhor Escola, que oferece bolsas de estudo.

Com cerca de 7.000 escolas parceiras, a empresa diz que a queda do poder aquisitivo dos pais de alunos eleva a busca por novas escolas ou instituições de ensino mais baratas. A estimativa é que a alta na demanda permaneça em 2022. ​

Do lado da oferta, os negócios de tíquete médio mais acessível também ganham força. A Enjoy, rede de franquias de ensino profissionalizante bilíngue com foco em jovens das classes C, D e E, anuncia a abertura de oito novas escolas até o fim do ano em cidades como Feira de Santana (BA), São Gonçalo (RJ), Olinda (PE) e Joinville (SC) e São Paulo.

O plano de expansão da empresa, que tem cerca de 25 mil alunos e mensalidades em torno de R$ 315, prevê outras cem unidades para o ano que vem. Atualmente, a Enjoy tem 72 escolas abertas e outras 115 a serem inauguradas. A meta da empresa é fechar 2021 com 200 unidades em funcionamento ou com franquias vendidas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos