Mercado pet em alta: Rio conta com 6.500 empresas voltadas para os bichos

·5 min de leitura

RIO — Companheiras de aventura, a filhote de american bully Júpiter e a golden adulta Lua adoram relaxar tomando uma cervejinha ou um sorvete na orla das praias da Zona Sul e se deliciar com uma pipoca gourmet em casa ou na Padaria Pet. O espaço, que oferece esses e outros quitutes em um cardápio exclusivo para animais de estimação, foi inaugurado há pouco mais de um mês no Botafogo Praia Shopping. Consideradas como filhas pelas fotógrafas Mariana Penna e Nina Rache, amigas e vizinhas no Leme, em pouco tempo as duas cadelas tornaram-se clientes fiéis da franquia da marca, criada em São Paulo — um bom exemplo do aquecimento do mercado pet no país, a cada ano mais em alta.

Hoje, o Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking internacional de produtos voltados ao mercado de animais de estimação, ficando atrás apenas de Estados Unidos e China, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). Já o Rio conta com 6.500 negócios voltados para esse nicho e emprega diretamente 2.300 pessoas em todo o estado. Desse total, só a Zona Sul conta com 552 empresas voltadas ao mercado de pet. Elas estão distribuídas pelos seguintes bairros: 23,19% em Copacabana, 15,22% em Botafogo, 7,61% na Gávea, 7,43% em Ipanema, 7,43% no Leblon, 7,25% em Laranjeiras, 6,70% no Flamengo, 5,62% no Jardim Botânico e 3,80% no Catete.

E o crescimento desse segmento segue em ritmo acelerado. De janeiro a julho de 2021 foram abertas mais empresas especializadas em animais de estimação do que todo o ano de 2020 no estado. As informações são do Sebrae Rio, que para atender a essa demanda lança o Fortalecimento do Mercado Pet, o primeiro projeto de transformação da instituição voltado para esse público. Oitenta empreendedores serão capacitados para construir novas estratégias de crescimento. As inscrições estão abertas no site do Sebrae e poderão ser feitas até a próxima terça-feira.

— Como ainda não temos muita oferta de programas para cachorro na Zona Sul, a Padaria Pet virou um ponto de encontro e é ótimo para comprarmos petiscos e delícias para nossas “filhas”. Elas adoram e é uma forma de retribuirmos todo o amor que recebemos delas — diz Mariana, “mãe” de Júpiter.

Moradora de Copacabana e tutora da vira-lata Baker, Sheila Sebalhos é a responsável pela franquia. Ela está fazendo sua estreia como empreendedora.

— Sempre tive pets e sempre quis abrir um negócio, e como esse é um segmento promissor, sobretudo na região, decidi apostar minhas fichas. Já estou tendo um retorno muito positivo. Nossos clientes de quatro patas adoram. Mais do que fazer uma gracinha, nossos produtos são funcionais, com ingredientes naturais, alguns são enriquecidos com vitaminas — diz.

Na lista de itens mais procurados estão a pipoca salgada (R$ 12,50), o sorvete (R$ 6,50), a cerveja cãolorado (R$ 15,20) e a de marca própria (R$ 10,40), os favoritos de Júpiter e Lua. A novidade é a linha de Natal com panetone e chocotone (R$ 8,70, cada). A padaria também vende produtos como roupas e acessórios e até o fim deste mês está com a campanha Pet Friday, em que vestidos que custam R$ 125,79 saem por R$ 88, e a bolsa de transporte de R$ 299 sai por R$ 209,30.

Com atuação voltada para setores de maior possibilidade de geração de empregos, o Sebrae Rio lança o projeto Fortalecimento do Mercado Pet com o objetivo de ajudar empreendedores a alavancarem suas marcas e estarem atentos às transformações do segmento, pontua a gerente de projetos da entidade, Ana Lucia Lima:

— Apesar da crise, o mercado pet cresceu 13,5% e movimentou R$ 40,8 bilhões no ano passado, segundo dados do Instituto Pet Brasil. Hoje, 44% dos domicílios brasileiros têm pelo menos um cachorro; e 17%, um gato. Os números impressionam.

Durante 12 meses, os empresários participarão de 36 horas de consultorias individuais e personalizadas, além de 24 horas de aulas coletivas, que serão ministradas no modelo on-line e presencial. O programa vai focar em gestão empresarial, na jornada do consumidor, na fidelização de clientes e na experiência do consumo. O Sebrae Rio subsidiará 90% do curso, sendo que o empreendedor ficará responsável pelo pagamento de R$ 537,50, parcelados em até 12 vezes sem juros no cartão de crédito.

À frente da Cia do Gato, a moradora do Catete Aline Vargas já fez sua inscrição no edital. Criado em 2015, o empreendimento oferece serviço de babá de gato e de aplicação de medicamentos com orientação veterinária.

— Já fiz alguns cursos, mas sempre senti dificuldade na área de gestão, principalmente depois que a empresa cresceu, por isso o interesse pelo curso do Sebrae — conta Aline, que se considera gateira desde sempre.

Os gateiros, como são chamados os apaixonados por gatos, são responsáveis por um nicho importante desse mercado. Por também ser um deles e enxergar uma oportunidade de negócio, a arquiteta Giovanna Molinaro, que tem três felinos, abriu em 2020, em um casarão tombado em Botafogo, o Gato Café. A loja tem decoração temática e um cardápio para humanos com diversas referências aos bichanos, além de opções de petiscos para eles. O empreendimento vende ainda produtos da marca como canecas e blusas e tem um espaço separado com parquinho para gatinhos que estão para adoção.

— Nosso propósito vai além de oferecer um serviço de qualidade em um espaço temático. Queremos ajudar os gatinhos a encontrarem uma família, e que eles vivam em um ambiente incrível enquanto aguardam o seu tão sonhado lar — diz Giovanna.

Já Marcelo Grinsztajn é superfã de cachorros. Tutor do casal de shi-tzus Quick e Pandora, ele decidiu, aos 56 anos, largar o emprego de mais de 30 anos e abriu em dezembro de 2020, no Shopping Rio Sul, a primeira franquia da marca gaúcha Cachorreiros, de acessórios de aventura para cães.

— A paixão favorece a busca constante por aperfeiçoamento, tornando os desafios tecnicamente mais fáceis de serem enfrentados. Cães são criaturas para lá de especiais. É um privilégio para mim poder contribuir, por meio de serviços, para aproximá-los dos seres humanos. A ideia é que nossos produtos proporcionem momentos prazerosos, de forma a criar um ambiente harmonioso de comprometimento pleno não só entre humanos e pets, mas também entre ambos e a natureza que os cerca — diz Grinsztajn.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos