Mercado treme: bola da vez em Pasadena é o Citibank

O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta quarta-feira o bloqueio de bens da ex-presidente Dilma Rousseff e de outros ex-membros do conselho de administração da Petrobras pelo prazo de um ano. A decisão tem o objetivo de ressarcir a Petrobras pelo prejuízo de 580 milhões de dólares provocado pela compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

O bloqueio também atinge os bens do ex-ministro Antonio Palocci; Claudio Luis da Silva Haddad; Fábio Colletti Barbosa; Gleuber Vieira; e José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da estatal.

Todos os executivos citados na decisão do TCU eram membros do conselho de administração da Petrobras quando foi aprovada a compra de 50% da refinaria de Pasadena, em 2006. Dilma era ministra da Casa Civil do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e presidia o conselho.

De acordo com o relatório, apesar de o conselho ter aprovado apenas a compra dos primeiros 50% da refinaria em 2006, os erros de avaliação serviram de base para a aquisição dos 5o% restantes.

Dilma diz que ‘não há prova de qualquer ilícito’ do Conselho da Petrobras em Pasadena,

Em nota, ex-presidente refuta decisão do Tribunal de Contas da União que decretou bloqueio de seus bens e dos demais membros do colegiado da estatal no caso da refinaria do Texas no montante global de US$ 580 milhões

Há um turbilhão secreto no mercado financeiro sobre essa decisão. E ele se chama Citibank. Vou te explicar.

É que o banco apresentou, à época, um “fairness opinion” (recomendação) que mostrava que o investimento fazia sentido e estava em consonância com os objetivos estratégicos da Petrobras. O relatório subsidiou a decisão do Conselho Administrativo de prosseguir com a compra.

Em 2006, a Petrobras pagou US$ 360 milhões por metade da refinaria. O valor chamou a atenção porque já era muito superior ao que a belga Astra Oil havia pago pela refinaria inteira apenas um ano antes: US$ 42,5 milhões.

A Petrobras desembolsou US$ 1,18 bilhão por essa refinaria tecnologicamente obsoleta e com evidentes dificuldades operacionais. Ou seja, comprou uma indústria velha por um preço mais de 27 vezes superior ao pago pela empresa belga 24 meses antes.

Bem.. nesta quinta-feira o jornal O Globo, em editorial, verbera o seguinte:

“Em análise anterior já indicara “excesso de poder” de dirigentes da estatal, nomeados por líderes de partidos com as bênçãos de Lula. Essa interferência política, o loteamento de diretorias da Petrobras, resultou em negócios fracassados e muita corrupção. Dilma, durante o governo e na sucessão de Lula, contribuiu com sua leniência.

Agora é necessário manter e se possível acelerar o ritmo de privatizações das atividades não fundamentais ao futuro da Petrobras. A recuperação da empresa é fundamental ao país e vital ao Rio de Janeiro.””

A bola da vez é o Citibank: o mercado passou o feriado tremendo…

Até o Globo reconhece isso nesse trecho:

“Depois que o TCU bloqueou os bens da ex-presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli e do ex-ministro Antonio Palocci, por conta da compra de Pasadena, gente do setor financeiro se perguntava ontem sobre possíveis problemas para o Citigroup envolvendo a compra da refinaria”