Mercedes revela impacto de 45G sofrido por Hamilton em Spa

Carro de Lewis Hamilton saiu do chão após batida em Spa-Francorchamps. Foto: John Thys/AFP via Getty Images
Carro de Lewis Hamilton saiu do chão após batida em Spa-Francorchamps. Foto: John Thys/AFP via Getty Images

A Mercedes de Lewis Hamilton sofreu um impacto de "carga vertical" de 45G como resultado do contato do britânico com Fernando Alonso na segunda volta do GP da Bélgica do último domingo.

Hamilton estava tentando uma ultrapassagem por fora em Fernando Alonso em Les Combes quando ele acertou o Alpine e a traseira de seu carro foi lançada no ar antes que o alternador aterrissasse pesadamente na área de escape da curva.

Leia também:

Enquanto Alonso foi capaz de continuar, Hamilton foi obrigado a estacionar seu carro na corrida para o complexo Pouhon, à esquerda, depois que suas equipes da Mercedes identificaram uma perda repentina de pressão da água.

Apesar do impacto que desencadeou o alerta médico da FIA, Hamilton não se machucou, o que decidiu que o britânico abdicaria de sua visita obrigatória ao centro médico de Spa, uma decisão que rendeu um forte aviso da FIA.

"Foi um grande, grande impacto", disse o diretor de estratégia da Mercedes, James Vowles, no vídeo da equipe pós-corrida no YouTube.

"Foi medido em 45G no gravador SDR do carro, que é muito grande em uma carga vertical. Ele vai ficar bem, ele estará de volta na luta em Zandvoort. Acho que principalmente ele está frustrado, por ter um carro de corrida muito rápido e um pódio era possível, mas ele, como todos nós, está aqui para lutar e seguir em frente", explicou o diretor.

Vowles disse que a Mercedes está atualmente realizando uma inspeção e diagnóstico completos da nova unidade de potência de Hamilton, bem como da caixa de câmbio do carro que foi quebrada pelo impacto.

Todos os componentes da suspensão também estão sendo examinados de perto antes da corrida do próximo fim de semana.

“Há fotos suficientes circulando pela internet para mostrar o quão alto o carro estava e como ele pousou e o impacto foi grande”, disse Vowles.

“Agora levará alguns dias para revisar todos os componentes, claramente haverá sobrecargas nos componentes da suspensão e na caixa de câmbio e precisamos entender toda a extensão do que é necessário antes de Zandvoort”, analisou.

Vowles destacou o ritmo de corrida da Mercedes em Spa, comparável à velocidade da Ferrari durante a corrida, só que o déficit da equipe na classificação continua significativo.

"Obviamente, os números são grandes, eles são muito mais vastos do que normalmente vemos, você normalmente esperaria um décimo ou dois, não um segundo", cravou.

Os carros voltam às pistas só na próxima semana quando será disputado o GP da Holanda. Marcado para o dia 4 de setembro, a prova terá 72 voltas e será a 15ª da temporada.