Mercosul anuncia acordo com Singapura e veta intervenção de Zelensky

O ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Julio Arriola, anunciou a conclusão das negociações para um acordo "de última geração" entre o Mercosul e Singapura durante a reunião ordinária do bloco celebrada em Assunção neste quarta-feira (20).

"Concluímos as negociações para um acordo de última geração com Singapura que ampliará o horizonte comercial com o sudeste asiático", anunciou o ministro paraguaio em mensagem a seus homólogos do bloco.

Arriola disse que a Singapura é um importante aliado comercial e de investimentos para o Mercosul.

Em 2021, as exportações do bloco a esse país alcançaram 5,92 bilhões de dólares, enquanto as importações totalizaram 1,25 bilhões, segundo dados do Mercosul.

O tratado de livre comércio (TLC) com Singapura pode significar novas exportações do bloco de 500 milhões de dólares, apontou o vice-ministro da Economia paraguaio, Iván Haas.

"Com o acordo com Singapura e as negociações muito adiantadas com a União Europeia ficou claramente demonstrada a projeção internacional do bloco. Com os Estados-membros somos mais fortes em nossas negociações", destacou Arriola.

A reunião ordinária do Mercosul precede a LX Cúpula de chefes de Estado do Mercosul que será realizada na quinta-feira na capital paraguaia.

O acordo implica a diversificação dos fluxos comerciais e a melhora de condições para a liquidação de investimentos entre ambas as partes. "Singapura é um importante provedor de capitais no mundo", afirmou Arriola.

O chanceler argentino Santiago Cafiero elogiou o convênio alcançado com Singapura e sustentou que trata-se de uma prova de que o Mercosul está disposto a trabalhar de forma compartilhada e consensual.

"Pode levar tempo. Não é preciso se apressar para fechar acordos entre os países se não forem acordos equilibrados", observou.

O chanceler brasileiro Carlos Alberto França descreveu como "significativo" o acordo alcançado, "o primeiro com o sudeste asiático e o mais dinâmico do mundo".

Um porta-voz da presidência temporária do Mercosul anunciou também nesta quarta-feira que os governos da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai negaram ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, a oportunidade de fazer uma intervenção na cúpula na quinta-feira.

"Não houve consenso. Foi comunicado ao embaixador ucraniano na Argentina, presente no Paraguai", informou nesta quarta-feira em coletiva de imprensa Raúl Cano, vice-ministro de Relações Exteriores do Paraguai.

O Mercosul, criado em 1991, é o principal bloco de integração da América do Sul, com Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai como sócios.

hro/nn/yow/jc/ic

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos