Merkel afirma que restrições na Alemanha contra covid-19 "não são suficientes"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
A chanceler alemã Angela Merkel (AFP/Michael Kappeler)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, advertiu nesta segunda-feira (22) que as atuais restrições no país "não são suficientes diante da situação dramática" provocada pelo surto de infecções de covid-19, de acordo com fontes de seu partido.

Com a atual evolução e os recordes diários de casos, a situação "será pior do que tudo o que vimos até agora", advertiu a chefe de Governo durante um encontro de dirigentes de seu partido, a conservadora União Democrata Cristã (CDU), segundo uma fonte que acompanhou o encontro.

A Alemanha, especialmente as regiões do sul e leste, é afetada por uma nova onda de infecções, que os especialistas e os políticos atribuem a uma das menores taxas de vacinação (68%) da Europa Ocidental.

Com o avanço do vírus, que matou mais de 99.000 pessoas no país desde o surgimento, a atual chanceler e seu provável sucessor, Olaf Scholz, decidiram na semana passada endurecer as restrições para as pessoas não vacinadas.

ys/yap/pc/zm/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos