Mesa Diretora da Câmara terá dois partidos de oposição a Bolsonaro e seis governistas

Paulo Cappelli
·1 minuto de leitura
Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

A Câmara dos Deputados elegeu, nesta quarta-feira, a nova composição da Mesa Diretora da Casa, responsável por conduzir os trabalhos legislativos e por tomar decisões administrativas e orçamentárias. Na nova configuração, dos 11 cargos, dois deputados são filiados a partidos que fazem oposição ao governo de Jair Bolsonaro, seis são filiados a legendas da base do governo e três são de siglas que se dividem entre a oposição a Bolsonaro e a proximidade com o Centrão que dá sustenção ao governo.

Além de Arthur Lira (PP-AL), eleito presidente da Câmara nesta segunda-feira, os governistas da Mesa Diretora são o primeiro vice-presidente, Marcelo Ramos (PL-AM); o segundo vice-presidente, André de Paula (PSD-PE); e Rosângela Gomes (Republicanos-RJ), quarta secretária. Além do segundo suplente Gilberto Nascimento (PSC-SP).

Também foram eleitos para a Mesa Diretora políticos de partidos que se mostraram divididos entre apoiar Lira, preferido de Bolsonaro, e Baleia Rossi (DEM-SP), que ficou em segundo lugar. Entre eles, o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar (PE), que será o primeiro secretário e, pelo PSDB, Rose Modesto (MS), que mantém ótima relação com Arthur Lira e foi escolhida terceira secretária. Também foram eleitos os terceiro e quarto suplentes, Alexandre Leite (DEM-SP) e Cássio Andrade (PSB-BA), respectivamente.

Já em relação aos nomes da oposição, haverá segundo turno entre Marília Arraes (PT-PE) e João Daniel (PT-SE) para ver quem ocupará a segunda secretaria da Mesa Diretora. Eduardo Bismarck (PDT-CE), por sua vez, ocupará a primeira suplência.