Fora Bolsonaro: Mesária alega ter sido agredida pela PM após discussão sobre adesivo

Servidora informou ter sido atingida no rosto por um celular (Getty Images)
Servidora informou ter sido atingida no rosto por um celular

(Getty Images)

  • Presidente de seção eleitoral no RJ diz ter sido agredida pela PM;

  • Amanda Almeida foi detida por estar com uma bolsa com o adesivo 'Fora Bolsonaro';

  • Discussão aconteceu no Colégio Luciano Pestre.

A presidente de uma seção eleitoral no Rio de Janeiro informou ter sido acuada e agredida por um policial militar após um desentendimento neste domingo (30) de segundo turno. Amanda do Nascimento dos Santos Almeida, de 29 anos, foi detida por estar com uma bolsa com o adesivo ‘Fora Bolsonaro’, em referência ao candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

Ao portal O Globo, a servidora pública disse que, antes da abertura da escola Luciano Pestre, em Niterói, percebeu um policial com um celular atrás da cabine de votação, atitude que a incomodou. Outro grupo de militares, segundo ela, tumultuavam o ambiente. “Estavam rindo e conversando na sala”, explicou.

Amanda, então, pediu que o grupo se retirasse do local para não atrapalhar a organização da seção eleitoral quando foi questionada por um policial se ela estava fraudando as urnas. A presidente do local recorreu à administração da escola, que pediu aos militares que circulassem entre as salas. A orientação não foi bem recebida e foi negada.

No meio da discussão, Amanda disse que foi atingida por um celular no rosto e, em seguida, detida e conduzida para a Delegacia de Polícia Federal de Niterói.

“Eu não estava distribuindo adesivos. Havia um adesivo velho, colado na minha bolsa, que eu nem lembrava. Fui agredida verbalmente e ainda usaram o adesivo para me incriminar. O policial se exaltou, colocou o dedo na minha cara e começou a gritar comigo dizendo que ele ‘não era criança’ e que eu não sabia o que estava fazendo”, relatou.

A servidora ainda criticou ter sido “conduzida ao local de depoimento” pelas “mesmas pessoas” que a agrediram. “Eu vou responder pelo adesivo que estava colado na minha bolsa, mas eu fui desacatada como funcionária pública, fui desrespeitada como pessoa, como mulher e agredida por um policial”, falou.

Em nota ao Globo, a Polícia Militar informou que uma ocorrência de crime eleitoral foi observada no Colégio Luciano Pestre. A queixa é de que uma presidente de seção eleitoral estava usando uma bolsa com adesivo de cunho político. A polícia não comentou as denúncias de agressão.

Atualizações ao vivo

Quais cargos serão votados no segundo turno das Eleições 2022?

Em estados nos quais houver necessidade, haverá disputa para governador. Todos os estados e o Distrito Federal votarão para presidente da República.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica no segundo turno das Eleições 2022

  1. Governador (dois dígitos)

  2. Presidente da República (dois dígitos)

Presidente: qual a função que esse cargo exerce?

O presidente da República exerce a função de chefe do poder Executivo e de chefe do Estado (autoridade máxima) de forma simultânea em uma nação cujo sistema de governo é denominado presidencialismo.

Como chefe do poder Executivo, o presidente é responsável pelas ações e decisões cotidianas da política brasileira.

Por exemplo: como criar políticas públicas e programas governamentais, como gerir a administração federal, sugerir novas leis, dentre outras atividades. Já como chefe de Estado, o presidente é o representante máximo do país que o elegeu perante o mundo.

Governador: qual a função que esse cargo exerce?

O governador é representante do Poder Executivo, com objetivo de governar o povo e conduzir os interesses públicos de cada estado.

Assim, a função do governador é comandar de forma completa o estado e representá-lo em ações jurídicas, políticas e administrativas. Ele também defende todos os interesses e necessidades do estado para com o presidente da República.

O Poder Executivo estadual também possui a função de articulação política com o governo federal, bem como com os municípios que integram o estado.

O que está sob a gestão dos governadores?

  • Segurança pública Uma das maiores responsabilidades do governador estadual é a segurança pública, envolvendo o total controle das Polícias Civil e Militar e a construção e administração de presídios.

  • Saúde – Está na alçada do governador criar as políticas de saúde estaduais e organizar o atendimento todo o atendimento de saúde, construindo e mantendo hospitais e instalações – laboratórios, centros de doação de sangue e centros de atendimento complexo (hospitais do câncer, por exemplo).

  • Educação No quesito educacional, o principal foco do governador costuma ser o ensino médio, hoje considerada a mais problemática das etapas do ensino formal brasileiro.

  • Definir o orçamento estadual – Os documentos orçamentários são de responsabilidade do governador estadual. Eles visam fomentar o planejamento de curto e médio prazo do estado, trazendo mais transparência ao uso dos recursos públicos.

  • Infraestrutura estadual – A responsabilidade sobre toda a infraestrutura é mantida na alçada do governador estadual. Rodovias e portos, por exemplo, precisam receber cuidados do governo.

  • Adquirir investimentos federais para estados e municípios – Para viabilizar projetos de grande porte, tanto o estado quanto os municípios dependem de investimentos vindos do governo federal. Para isso, o governador é importante e peça-chave na articulação política entre União, estado e municípios.