Mesmo após operação da PF, Bolsonaro não pretende afastar ou demitir Salles

·2 minuto de leitura

 

Operação da PF parece não ter mudado prestígio de Salles com Bolsonaro (Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
Operação da PF parece não ter mudado prestígio de Salles com Bolsonaro (Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
  • Ricardo Salles é o principal alvo de uma investigação da PF sobre exportação ilegal de madeira

  • Operação resultou em busca e apreensão no endereço do ministro e de outros envolvidos

  • Mesmo assim, segundo interlocutores, Bolsonaro não pensa em afastá-lo ou demiti-lo

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, continua prestigiado por Jair Bolsonaro (sem partido), apesar de ser o principal alvo de uma operação da Polícia Federal que resultou em busca e apreensão no endereço dele e de outros investigados. Segundo informações do UOL, o presidente sequer pensa em afastar ou demitir o chefe da pasta.

Leia também

De acordo com o site, Bolsonaro conversou com Salles na manhã desta quarta-feira e reiterou seu apoio. O presidente teria, ainda, pedido que o ministro dê suas explicações sobre os fatos investigados e lhe garantido que, ao menos momentaneamente, não vê motivo para afastamento.

Interlocutores de Salles informaram que há até a “enorme possibilidade” de Bolsonaro vir a público manifestar seu apoio ao ministro.

Salles é o alvo principal de uma investigação da Polícia Federal (AP Photo/Arisson Marinho)
Salles é o alvo principal de uma investigação da Polícia Federal (AP Photo/Arisson Marinho)

Auxiliares do presidente consideram que a operação, autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deve esquentar o clima da disputa entre Executivo e Judiciário no país.

No entendimento de Salles, como manifestou publicamente nesta quinta, Moraes autorizou a operação após ter sido induzido ao erro pela Polícia Federal.

Entenda a investigação

Ricardo Salles é alvo de uma operação nesta quarta-feira que investiga exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa. Eduardo Bim, presidente do Ibama, também é alvo da ação. As informações são do Portal G1.

A operação conta com 160 policiais federais que atuam no Distrito Federal, São Paulo e Pará. Ao todo, são 35 mandados de busca e apreensão. O ministro do Meio Ambiente teve, ainda conforme apuração do G1, seu sigilo fiscal e bancário quebrado. Salles ainda não se pronunciou sobre a operação.