Mesmo com chuva e restrições, Copacabana tem pontos de aglomeração

·1 minuto de leitura
Perto da virada do ano, pessoas foram à praia em Copacabana cumprir rituais (Foto: Reprodução/GloboNews)
Perto da virada do ano, pessoas foram à praia em Copacabana cumprir rituais (Foto: Reprodução/GloboNews)

A virada de ano em Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro, foi diferente do que costuma ser. Como forma de evitar aglomerações durante a crise sanitária causada pelo coronavírus, não houve queima de fogos, show nem a multidão que costuma ocupar as areias da praia.

No entanto, perto da meia noite, mesmo com chuva, grupos de pessoas saíram dos apartamentos e quartos de hotel para irem à praia, o que gerou algumas aglomerações.

A prefeitura do Rio criou bloqueios de acesso à região e suspendeu a entrada de transportes coletivos aos bairros que ficam perto de Copacabana. Desde às 20h, o acesso à orla estava bloqueado desde o Leme até o Recreio dos Bandeirantes.

Leia também

Mesmo assim, perto do mar, minutos antes da virada do ano, algumas pessoas cumpriam rituais típicos da data, como pular ondas e oferecer flores para Iemanjá.

Havia ainda bastante policiamento. PMs, a Guarda Civil e o Batalhão de Choque trabalharam para evitar maiores aglomerações em Copacabana. Mas, nos poucos quiosques que estavam abertos, algumas pessoas se reuniam para comemorar a virada de ano.