Mesmo sem data para reabrir, escolas do Rio já estão preparadas

Pedro Zuazo e Marcelo Antonio Ferreira
·2 minuto de leitura

Com a queda de braço entre estado e município, a rede particular não arrisca ainda um calendário de reabertura. Em um grupo de WhatsApp do qual participam cerca de 160 empresários do setor, a maior parte avalia que só em meados de agosto será possível iniciar a retomar, de fato, as aulas presenciais. Mas os preparativos não serão deixados para a última hora. A maioria das unidades já está se adaptando aos novos protocolos.

— Estamos com tudo pronto, mas não vamos começar a treinar as equipes antes de ter uma data certa para a volta, porque isso gera ansiedade na equipe e nas famílias — diz o diretor do colégio Intellectus, Gustavo Fernandes, um dos participantes.

O Sindicato dos Estabelecimentos de Educação Básica do Rio (Sinepe-RJ), que responde pelas escolas particulares, afirmou, em nota, que a rede “está pronta para voltar às aulas” e que aguarda “para os próximos dias a sintonia das autoridades que permitam o regresso”.

Já o Sinpro-Rio, que representa os professores, diz ser contra a retomada “precoce”. O sindicato marcou uma assembleia para o próximo sábado para discutir a questão.

— Estamos aguardando o posicionamento das esferas municipal e estadual, que estão divergentes. Estamos também monitorando o anseio das famílias, a maior parte está temorosa — conta Felipe Souza, superintendente das quatro unidades do Colégio Santa Mônica, que somam 5 mil alunos e 400 professores.

Na rede CEL, os preparos estão avançados, apesar de não haver data definida.

— Organizamos as salas e todas as nossas unidades estão com o distanciamento de dois metros entre carteiras. Estamos com o nosso protocolo de retorno pronto, feito a partir de um olhar não só pedagógico, mas, também, a partir do ponto de vista de um infectologista e de um arquiteto contratados — diz May Chagas, diretora pedagógica da instituição.

O Elite Rede de Ensino também não tem data definida para o retorno. A escola enviou uma cartilha para todos os responsáveis na qual reiterara o rigor dos protocolos numa possível retomada presencial. Pensi e pH também ainda não trabalham com data de volta.