Mesmo sem globais, Santana de Parnaíba quer ter a maior Paixão de Cristo do país em 2023

·3 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHARPESS) - A encenação da Paixão de Cristo de Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, é considerada pelos parnaibanos a segunda maior do país, ficando atrás apenas de Nova Jerusalém, em Pernambuco. A partir de 2023, porém, a cidade de paulista quer ser a primeira -ao menos na capacidade de público.

De acordo com o secretário de comunicação, Fábio Mendonça, após a superlotação da sexta-feira (15), a prefeitura decidiu ampliar, para o próximo ano, a capacidade das arquibancadas de 10 mil para 15 mil pessoas. O espetáculo de Nova Jerusalém tem público de cerca de 10 mil por apresentação.

"Ontem [sexta-feira] não cabia mais ninguém nas arquibancadas. Deixamos um espaço aberto debaixo delas, que cabem cerca de 5.000 pessoas, e ficou todo tomado", diz ele.

"Somos a segunda maior do Brasil. Nós não somos a número um porque não trazemos os atores globais. Nosso cenário é gigantesco, são cerca de 6,5 mil metros quadrados", afirma também secretário. As dimensões do cenário fazem dele o maior dos desenhados para eventos do tipo no país, segundo Mendonça.

Para o secretário, não ter atores famosos da TV Globo é uma escolha. "Preferimos fazer com os atores da cidade. O menino que interpreta Jesus é designer na minha secretaria. Quem interpreta os soldados para a gente são os homens do Exército. As pessoas se inscrevem", conta.

Já o espetáculo pernambucano teve neste ano o ator global Gabriel Braga Nunes como Jesus Cristo, papel também já interpretado por Fabio Assunção (1997-1998) e Juliano Cazarré (2019), entre outros.

Realizada desde 1968, a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém já foi vista por cerca de 4 milhões de pessoas do Brasil e do exterior e se consolidou como uma das principais atrações turísticas do Brasil durante a Semana Santa.

Em Parnaíba, o papel principal do espetáculo pertence ao designer gráfico Sinnayder Barcelos. O mesmo ator também já foi, dez anos antes, o intérprete de Judas. "Para você ver como Deus é Maravilhoso", brinca o secretário sobre a evolução do ator nos papeis.

A encenação em Santana de Parnaíba, realizada desde 1997, é dirigida pelo diretor teatral Edmilson Andrade que, neste ano, trabalha com cerca de 400 pessoas, entre atores, figurantes, coro e bailarinos.

O espetáculo é realizado próximo à barragem Edgar de Souza, no rio Tietê, e tem duração de duas horas e meia, divididas em duas partes. São cinco palcos para contar passagens do Antigo Testamento --neste ano a "Bravura de Ester" e a vida de Jesus, indo dos milagres até a crucificação.

"É uma história que é contada há mais de 2.000 anos, mas que comove pessoas a qualquer momento. Você vê homens que se dizem durões, chegam lá e choram feito crianças. Porque eles sentem a presença de Deus naquele momento", comenta Mendonça.

O último dos três espetáculos acontece neste sábado (16) a partir das 20h30. A prefeitura calcula a presença de 7.000 pessoas. A entrada é gratuita, mas o município incentiva o público a doar um quilo de alimento não perecível. É preciso comprovação de vacinação contra Covid para poder assistir.

Como assistir Drama da Paixão

Onde: Barragem Edgar de Souza, Estrada dos Romeiros, km 40 - portão 2 - Santana de Parnaíba

Quando: neste sábado (16), 20h30

Quanto: entradas gratuitas; pontos de retirada estão listados no site da prefeitura; é obrigatória a apresentação de comprovante de vacinação contra Covid-19

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos