Meta nega que Zuckerberg vá deixar o cargo de CEO

 Meta nega rumores de que Mark Zuckerberg estaria abandonando a posição de CEO em 2023 (zz/DJ/AAD/STAR MAX/IPx 2016 2/22/16)
Meta nega rumores de que Mark Zuckerberg estaria abandonando a posição de CEO em 2023 (zz/DJ/AAD/STAR MAX/IPx 2016 2/22/16)
  • Boatos iniciaram através do portal The Leak, uma publicação online relativamente nova;

  • Porta-voz da Meta, Andy Stone, se dispôs apenas a dizer: "Isso é falso";

  • Zuckerberg tem sido alvo de críticas por sua liderança da empresa nos últimos meses.

A meta negou boatos de que Mark Zuckerberg, o fundador da empresa, estaria deixando de atuar como presidente-executivo. Os rumores surgiram a partir de uma reportagem que repercutiu na internet na terça-feira, que afirmava que Zuckerberg deixaria o cargo de chefe da empresa em 2023.

O relatório foi publicado pela primeira vez no portal The Leak, uma publicação online relativamente nova. Andy Stone, porta-voz da Meta conhecido por sua franqueza, negou categoricamente os boatos em seu perfil no Twitter. "Isso é falso", afirmou em seu perfil sem dar maiores esclarecimentos.

O CEO tem sido alvo de críticas nas últimas semanas, especialmente após a demissão de um grande número de funcionários em novembro, quando cerca de 11 mil trabalhadores foram demitidos. Em uma mensagem enviada aos colaboradores, Zuckerberg afirmou que assume "responsabilidade por estas decisões e como chegamos aqui", se referindo a sua previsão errônea de que o crescimento que a empresa teve durante a pandemia continuaria nos próximos anos.

O diretor-executivo da Meta também vem recebendo críticas por sua insistência na criação do Metaverso, através da divisão Reality Labs da empresa. Zuckerberg já indicou no passado que acredita que este investimento se mostrará fundamental para o futuro de sua empresa.

No entanto, por enquanto a divisão responsável já apresentou um prejuízo de US$ 10 bilhões (R$ 53 bilhões) somente neste ano, e há indícios de que essas perdas provavelmente “crescerão significativamente” em 2023.

“Olha, entendo que muitas pessoas podem discordar desse investimento, mas pelo que posso dizer, acho que isso será uma coisa muito importante”, disse Zuckerberg durante sua ligação com investidores. “As pessoas vão olhar para trás daqui a uma década e falar sobre a importância do trabalho que está sendo feito aqui.”