Trump usa desvio para evitar protesto por maior controle de armas na Flórida

Miami, 24 mar (EFE).- A comitiva do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Flórida precisou usar um desvio para evitar um encontro com manifestantes que se reuniram neste sábado para exigir um maior controle sobre a venda de armas no país.

O presidente, que chegou ontem em Mar-a-Lago, uma mansão de sua propriedade no sul da Flórida, deixou o Trump International Golf Club, em West Palm Beach, por volta das 14h locais (16h em Brasília) e não pegou a avenida Southern Boulevard na volta para casa.

A via estava bloqueada por manifestantes que se uniram ao protesto "#MarchForOurLives (Marcha por Nossas Vidas), convocado para pedir um maior controle na comercialização de armas no país após o ataque a tiros que matou 17 pessoas em uma escola da Flórida.

Mais de 1 milhão de pessoas, cerca de 500 mil delas em Washington, foram às ruas do país para exigir do Congresso e do presidente uma resposta à violência armada nos EUA.

Segundo o jornal "Palm Beach Post", a comitiva de Trump utilizou um caminho alternativo para chegar a Mar-a-Lago. No trajeto normalmente utilizado pelo presidente, manifestantes também exibiam cartazes pedindo o impeachment do republicano.

No início do mês, Trump prometeu à Associação Nacional do Rifle (NRA), o poderoso lobby que se opõe a uma maior regulação na venda de armas, que seguirá apoiando a Segunda Emenda da Constituição dos EUA, que garante o direito dos americanos de possuir armas.

Apesar de Trump ainda não ter se manifestado sobre as manifestações de hoje, a Casa Branca elogiou o movimento em comunicado e garantiu que manter as crianças seguras nas escolas é uma das prioridades do presidente. EFE