‘Metaverso é o lugar que estamos desde o começo’, diz CEO da Matterport

·2 min de leitura
Metaverso vira uma aposta para startups e Matterport está colocando dinheiro nisso para criar um mundo digital igual ao físico. (Getty Images) (Getty Images/iStockphoto)
  • Metaverso vira uma aposta para startups e Matterport está colocando dinheiro nisso

  • Matterport é frequentemente mencionado como um jogador no desenvolvimento do metaverso

  • Ideia da companhia é criar um espaço digital igual ao físico e oferecer experiência de visita à distância

Você já fez um tour digital 3D em casa? Há uma grande probabilidade de que a tecnologia da câmera usada para fazer o visual tenha sido criada pela Matterport.

Leia mais

Fundada em 2011, a Matterport é agora líder de mais de US$ 2 bilhões (R$ 10,2 bilhões) em tecnologia de câmeras que cria “gêmeos digitais”, que é uma representação virtual de espaços físicos. O principal mercado da empresa é o imobiliário. Outros setores-chave incluem empresas de varejo, hotelaria e seguros.

Ao abranger o mundo digital e físico, Matterport é frequentemente mencionado como um jogador no desenvolvimento do metaverso. A Matterport tem a missão de digitalizar todos os espaços para torná-los mais valiosos e acessíveis. Com nossa própria tecnologia de câmera para profissionais e qualquer pessoa com um smartphone, software sofisticado e tecnologia de inteligência artificial, permitimos que as pessoas capturem gêmeos digitais — réplicas digitais 3D — de qualquer espaço físico.

Com os gêmeos digitais, qualquer pessoa pode visualizar e colaborar em qualquer lugar, a qualquer hora, virtualmente, nesse espaço. Quando a Matterport começou, há 10 anos, o setor imobiliário era a aplicação mais prática para nossa tecnologia. Os possíveis compradores e locatários podem visualizar remotamente a propriedade para entender o layout e as dimensões de maneira muito mais detalhada.

Metaverso vira uma aposta para startups e Matterport está colocando dinheiro nisso para criar um mundo digital igual ao físico. (Getty Images)
Metaverso vira uma aposta para startups e Matterport está colocando dinheiro nisso para criar um mundo digital igual ao físico. (Getty Images)

Ideia é comprar casas ‘à distância’

Nossa tecnologia permitiu que milhares de propriedades fossem compradas sem serem vistas. À medida que crescemos, o número de aplicativos para nossa tecnologia aumentou, explica RJ Pittman, CEO da Matterport.

A Matterport digitaliza o mundo construído, ou o mundo físico, há uma década. Criamos a categoria e somos líderes no mercado global. Certamente compartilhamos o entusiasmo pelo que o futuro reserva em um mundo digital. Resta saber em que o metaverso evolui e quem o está moldando.

É cedo, e muitos aspectos que descrevem a promessa e o escopo do metaverso ainda estão na fase de descoberta e exploração, na melhor das hipóteses. É importante que evite a armadilha de se tornar uma tecnologia em busca de um problema para resolver.

Anúncios recentes de outras empresas de tecnologia sugerem uma abordagem complementar para um universo digital que pode integrar e utilizar a solução da Matterport para criar uma versão digital de qualquer espaço físico hoje, acelerando a criação do universo digital.

À medida que o metaverso e os esforços relacionados empurram mais empresas e comunidades para o mundo digital, as ferramentas da Matterport facilitam a operação perfeita entre o físico e o digital. Parece que algumas das grandes empresas de tecnologia estão se aproximando do metaverso por meio de mundos virtuais simulados ou camadas AR para jogos, entretenimento, social e reuniões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos