Metrô começa testes para tentar reabrir monotrilho de SP, após falhas em pneus

FÁBIO MUNHOZ
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 26-08-2019 - Nova estação da Linha 15-Prata do monotrilho é inaugurada nesta segunda na Zona Leste de SP. Estação Jardim Planalto, na Avenida Sapopemba, começou a operar às 10h. Primeiras estações da Linha Prata foram entregues com dois anos de atraso. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Metrô afirma que começará, nesta sexta-feira (6), testes com circulação de trens sem passageiros na linha 15-prata, que liga as estações São Mateus e Vila Prudente, na zona leste de São Paulo.

O monotrilho está suspenso desde o último sábado (29). Ainda não foi dado prazo para que o serviço seja normalizado. A circulação na linha 15 foi interrompida depois de o metrô ter identificado falhas em pneus das composições.

Na quinta-feira (27), um pneu estourou, fazendo com que uma peça fosse lançada sobre a avenida Sapopemba. Diferentemente dos metrôs convencionais, as composições do monotrilho rodam sobre pneus de borracha.

Tanto o Metrô quanto as empresas responsáveis pela fabricação do trem e da via ainda não descobriram as causas do problema. Na tarde desta terça (3), deputados de oposição ao governo João Doria (PSDB) protocolaram uma representação no Ministério Público para que seja aberto um inquérito que apure os motivos da paralisação.

O pedido foi feito pelos deputados José Américo e Paulo Fiorilo, ambos do PT. "Estamos tratando de um sistema que deve ter seu nível de segurança elevado ao máximo. Além de transportar milhares de pessoas, sua operação acontece em elevada altura", dizem os deputados, que também solicitaram a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o caso.