Academia de Hollywood investiga seu próprio presidente por assédio sexual

Los Angeles (EUA), 16 mar (EFE).- A Academia de Hollywood abriu uma investigação sobre seu próprio presidente, John Bailey, depois de receber na quarta-feira passada três acusações de assédio sexual, informou nesta sexta-feira o site da revista "Variety".

Bailey, que tem 75 anos e é diretor de fotografia de profissão, foi eleito presidente da Academia de Hollywood no último dia 8 de agosto e sucedeu Cheryl Boone Isaacs no cargo.

Segundo o site da revista "The Hollywood Reporter", o secretário da Academia, David Rubin, se encontra à frente de uma subcomissão que está revisando as acusações contra Bailey.

Por conta dos vários escândalos sexuais revelados atualmente em Hollywood e que impulsionaram os movimentos "Me Too" e "Time's Up", a Academia decidiu em outubro do ano passado pela expulsão da instituição de Harvey Weinstein, o poderoso produtor cinematográfico que foi acusado de agressão sexual por dezenas de mulheres.

Além disso, a Academia, que organiza o Oscar anualmente, adotou em janeiro um novo código de conduta sobre o assédio sexual e os comportamentos inadequados no local de trabalho.

A trajetória de John Bailey como diretor de fotografia inclui, entre outros, os filmes "Gente como a gente" (1980), "Feitiço do Tempo" (1993) e "Melhor É Impossível" (1997). EFE