Metroviários de São Paulo anunciam 'greve sanitária' para o dia 20 de abril

João de Mari
·3 minuto de leitura
Movement of people in the Line 4 Yellow wagon of the São Paulo subway this June 17, 2020 in Sao Paulo, Brazil. State recorded record deaths from Covid-19 for two straight days this week. (Photo: Bruno Rocha/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
De acordo com a entidade, participaram da votação trabalhadores de todas as linhas do sistema metroviário de São Paulo. Dos 1.023 votos, 64,3%, ou 661 votantes, se declarou a favor da greve (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
  • Metroviários de São Paulo anunciaram greve para o próximo dia 20 de abril

  • A principal reinvidicação é o cronogarma de vacinação contra a Covid-19

  • Dos 1.023 votos, 64,3%, ou 661 votantes, se declarou a favor da greve

Os metroviários de São Paulo aprovaram uma “greve sanitária” para o dia 20 de abril de 2021. De acordo com comunicado da categoria, a principal reivindicação é o cronograma de vacinação contra a Covid-19 para os funcionários e funcionárias do Metrô.

"O governo Doria e a direção do Metrô ignoraram o Plano de Emergência apresentado pelo Sindicato e não vacinaram os metroviários, embora sejam trabalhadores essenciais", diz trecho do documento, divulgado nesta quarta-feira (7), após decisão tomada em assembléia on-line. 

Leia também

De acordo com a entidade, participaram da votação trabalhadores de todas as linhas do sistema metroviário de São Paulo. Dos 1.023 votos, 64,3%, ou 661 votantes, se declarou a favor da greve. São elas:

  • Linha 1-Azul

  • Linha 2-Verde

  • Linha 3-Vermelha

  • Linha 4-Amarela 

  • Linha 5-Lilás

  • Monotrilho Linha 15-Prata

Além do cronograma para imunização, os metroviários também cobram medidas de prevenção contra o coronavírus. Segundo a categoria, um Plano de Emergência foi apresentado ao governador João Doria (PSBD). No entanto, de acordo com a entidade, as sugestões foram “ignoradas” pelo governo de São Paulo.

Luto pelas vítimas da Covid-19

Ainda segundo o sindicato, no dia 16 de abril, os funcionários vão trabalhar de preto, sem uniformes, em sinal de luto pelas vítimas da Covid-19.

Na visão da entidade, o governo paulista deveria decretar um lockdown no estado, com o fechamento das atividades para conter o vírus.

Greve dos motoristas de ônibus

A data aprovada de paralisação coincide com a greve anunciada por motoristas de ônibus. De acordo com o jornal Diário do Transporte, rodoviários de diversas cidades de São Paulo decidiram cruzar os braços no próximo dia 20.

Segundo o Sindmotoristas, entidade que representa a categoria, o "lockdown" do transporte acontecerá caso não haja um posicionamento do poder público sobre a vacinação dos profissionais.

Commuters wearing masks due to the COVID-19 pandemic crowd a public Rapid Transit Bus (BRT) in Rio de Janeiro, Brazil, Tuesday, March 30, 2021. (AP Photo/Bruna Prado)
Motoristas de ônibus, por exemplo, tiveram 62% mais mortes na comparação das mortes entre janeiro e fevereiro de 2020, pré-pandemia, e dois dos piores meses da crise sanitária, no início de 2021 (Foto: AP Photo/Bruna Prado)

Mortes de motorista de ônibus aumentam 62% na pandemia

Segundo um levantamento feito para o jornal EL PAÍS pelo estúdio de inteligência de dados Lagom Data, com base em informações do Ministério da Economia, trabalhadores formais que não puderam ficar em casa em nenhum momento da pandemia exercem algumas das ocupações que mais registraram aumento de mortes no Brasil.

Motoristas de ônibus, por exemplo, tiveram 62% mais mortes na comparação das mortes entre janeiro e fevereiro de 2020, pré-pandemia, e dois dos piores meses da crise sanitária, no início de 2021. 

O levantamento ainda aponta que Operadores de caixa de supermercado perderam 67% mais colegas no mesmo período. Entre os vigilantes, que incluem os profissionais terceirizados que monitoram a temperatura de quem entra em shoppings centers, houve 59% de mortes a mais. Frentistas de posto de gasolina, por exemplo, tiveram um salto de 68%.

Vacinação em São Paulo

Atualmente, o estado está vacinando pessoas de 68 anos, além de forças policiais. João Doria ainda anunciou as datas de início da vacinação de pessoas de 65 a 67 anos.

Calendário de vacinação em São Paulo

  • 12 de abril: início da vacinação de professores

  • 14 de abril: início da vacinação de pessoas com 67 anos

  • 21 de abril: início da vacinação de pessoas de 65 e 66 anos