Metroviários, ferroviários e motoristas de ônibus cancelam greve após promessa de vacinação contra a Covid-19

João de Mari
·4 minuto de leitura
De acordo com os metroviários, ferroviários e motoristas de ônibus, a decisão foi tomada após o governo incluir as categorias no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19 (Foto: Via Getty Images)
De acordo com os metroviários, ferroviários e motoristas de ônibus, a decisão foi tomada após o governo incluir as categorias no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19 (Foto: Via Getty Images)
  • Metroviários, ferroviários e motoristas de ônibus em São Paulo suspenderam a greve prevista para começar nesta terça-feira (20)

  • Decisão foi tomada após o governo paulista prometer incluir os grupos na prioridade da vacinação contra a Covid-19

  • Vacinação dos metroviários e ferroviários começará no dia 11; data para os motoristas de ônibus deve ser anunciada na próxima quinta (22)

As três principais categorias do transporte público em São Paulo suspenderam a greve prevista para começar nesta terça-feira (20). 

De acordo com os metroviários, ferroviários e motoristas de ônibus, a decisão foi tomada após o governo prometer incluir as categorias no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19.

Leia também

Os funcionários do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) serão vacinados a partir do dia 11 de maio, conforme confirmado pela gestão estadual nesta segunda-feira (19).

A data foi anunciada por e-mail para a categoria e deve ser divulgada oficialmente em coletiva de imprensa nesta terça-feira (20) pelo governador João Doria (PSDB).

Como ficou a vacinação

Nos cálculos da Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM), cerca de 9.500 trabalhadores devem ser imunizados. Ficou dessa forma:

  • Todos os operadores de trem serão vacinados, independentemente da idade

Já no caso dos trabalhadores da manutenção, os que ocupam funções nas estações, como segurança, limpeza e os terceirizados e funcionários das bilheterias:

  • Serão vacinados apenas aqueles com mais de 47 anos

Entraram aí também os trabalhadores da operação das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, que são privatizadas. Mesmo com a proposta, a decisão pela derrubada da greve não foi unanime entre as categorias.

SAO PAULO, BRAZIL - MAY 07: Commuters ride the bus wearing face masks on May 7, 2020 in Sao Paulo, Brazil. The Government of the State of São Paulo has decreed the mandatory use of face masks in the streets.  (Photo by Victor Moriyama/Getty Images)
De acordo com a STM, essas categorias têm contato com 4 milhões de passageiros por dia. Por este motivo, a reivindicação era pela “vacinação imediata para todos os trabalhadores do transporte público” (Foto: Victor Moriyama/Getty Images)

Uma fonte do sindicato dos metroviários disse que a proposta do governo tem um "critério esquisito". "Vacina operador, mas outros setores que se expõem também como os operadores tem um corte de idade, acima dos 47 anos. Não faz sentido", disse à reportagem do Yahoo! Notícias.

De acordo com a STM, essas categorias têm contato com 4 milhões de passageiros por dia. Por este motivo, a reivindicação era pela “vacinação imediata para todos os trabalhadores do transporte público”.

Ônibus

O governo Doria também se comprometeu a incluir os profissionais motoristas de ônibus no grupo prioritário da vacinação, segundo o Sindicato dos Motoristas de Ônibus (Sindmotoristas).

A data de início da imunização da categoria deverá ser anunciada na próxima quinta-feira (22), de acordo com a entidade.

A categoria havia convocado greve juntamente com os metroviários e os trabalhadores da CPTM para pressionar o governo pela vacinação contra a Covid-19.

Cronograma de vacinação para todas as idades

O governo estadual de São Paulo marcou uma coletiva de imprensa para esta terça-feira (20) para anunciar todo o cronograma de vacinação contra a covid-19. O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), nesta segunda-feira (19).

À CBN, Doria ainda afirmou que São Paulo vacinará toda a população até o fim de 2021. Após a entrega das doses comprometidas com o Plano Nacional de Imunização, o governo paulista receberá 30 milhões de doses da CoronaVac, para uso exclusivo no estado.

"Quero antecipar aqui que, a partir de setembro, após o cumprimento integral do nosso compromisso, do compromisso de São Paulo com o Brasil, com o Ministério da Saúde, já adquirimos 30 milhões de doses da vacina do Butantan junto ao laboratório SinoVac, que chegarão em outubro. Outubro, novembro e dezembro nós vamos concluir a totalidade da vacinação em São Paulo, de todas as pessoas que podem ser vacinadas", declarou.

Quem está sendo vacinado em SP

Atualmente, estão sendo vacinadas em São Paulo pessoas com 67 anos, profissionais da educação com mais de 47 anos, além de forças de segurança.

Confira o calendário de vacinação contra a covid-19:

  • 21 de abril: 65 e 66 anos

  • 29 de abril: 63 e 64 anos

  • 6 de maio: 60, 61 e 62 anos

Doria anunciou que os próximos grupos etários devem receber majoritariamente a vacina Oxford/AstraZeneca, produzida no Brasil pela Fiocruz.

Chegada de insumos para produção de vacinas

Nesta segunda-feira (19), o Instituto Butantan recebeu 3 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), suficiente para produzir 5 milhões de doses da CoronaVac.

Com os insumos, o Butantan conseguirá cumprir a entrega de 46 milhões de doses da vacina contra a covid-19. Os imunizantes deveriam ser entregues até o fim de abril, mas, com o atraso na chegada do IFA, o acordo será cumprido até 10 de maio.

Até 30 de agosto, o governo de São Paulo deverá entregar 100 milhões de doses da CoronaVac ao Programa Nacional de Imunização.