“Meu filhinho deve ter sofrido muito”, diz pai de Henry Borel

·3 minuto de leitura
(Foto: Reprodução)
Nesta quinta-feira (8), o pai Leniel Borel lembrou o primeiro mês da morte do filho (Foto: Reprodução)
  • 8 de abril marca o primeiro mês passado desde a morte de Henry Borel

  • Pai disse que Monique, mãe da criança, matou o menino

  • Monique e Dr. Jairinho foram presos nesta quinta-feira

“Esta infeliz matou meu filho. Meu filhinho deve ter sofrido muito”, disse Leniel Borel de Almeida, pai de Henry, depois da prisão do vereador Dr. Jairinho e da mãe da criança, Monique Medeiros.

A declaração foi feita em entrevista à TV Globo. Ele chegou a dizer que estava passando mal.

Antes de saber da prisão da ex-mulher e do vereador Dr. Jairinho, Leniel havia feito uma postagem no Instagram em homenagem ao filho. Nesta quinta-feira (8), faz um mês que Henry foi assassinado.

Leia também

“30 dias desde que te dei o último abraço. Nunca vou esquecer de cada minuto do nosso último final de semana juntos. Deixar você bem, cheio de vida, com todos os sonhos e vontades de uma criança inocente. Desculpa o papai por não ter feito mais, lutado mais e protegido você muito mais. Confiamos que Deus fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia”, escreveu o pai do menino.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Sessões de tortura

Segundo a TV Globo, a polícia acredita que o vereador Dr. Jairinho teria praticado pelo menos uma sessão de tortura contra a criança algumas semanas antes da morte. Autoridades acreditam que a mãe sabia das agressões.

Investigadores acreditam que Henry Boral foi assassinado. O padrasto o agredia com chutes e golpes na cabeça.

Prisão do casal

Na manhã desta quinta-feira, Monique e Dr. Jairinho foram presos por terem atrapalhado as investigações sobre a morte de Henry.

A professora Monique Medeiros da Costa e Silva e o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), foram presos, na manhã desta quinta-feira, dia 8, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, por policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca). Contra o casal foram cumpridos mandados de prisão temporária por 30 dias, expedidos pela juíza Elizabeth Louro Machado, do II Tribunal do Júri da capital. Os dois são suspeitos de participação na morte do filho dela, Henry Borel Medeiros, durante a madrugada de 8 de março. De acordo com as investigações, Jairinho agredia o menino com bandas, chutes e pancadas na cabeça e Monique tinha conhecimento disso, pelo menos, desde o dia 12 de fevereiro.

O inquérito aponta que menino chegou ao condomínio Majestic, no Cidade Jardim, levado pelo pai, o engenheiro Leniel Borel de Almeida, por volta de 19h20 do dia anterior. Monique teria dado banho no filho e o colocado para dormir no quarto que dividia com Jairinho. Por volta de 3h30, quando já tinham pego no sono após assistir uma série na televisão, a professora e o vereador disseram ter encontrado a criança caído no chão do cômodo, com pés e mãos gelados e olhos revirados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos