Mianmar deve retomar transição democrática, diz chefe da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu, neste sábado (12), que a junta militar de Mianmar reinicie "imediatamente" a transição democrática, após afirmar que é a única maneira de frear o "pesadelo sem fim" do país.

"A situação de Mianmar é um pesadelo sem fim para o povo e uma ameaça à paz e à segurança na região", declarou Guterres a jornalistas no Camboja, onde acontece a cúpula da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Mianmar está mergulhada em um conflito sangrento desde que os militares derrubaram o governo civil de Aung San Suu Kyi em fevereiro de 2021.

A crise birmanesa dominou a cúpula da ASEAN, cujos esforços diplomáticos ainda não conseguiram deter a violência.

"Peço às autoridades birmanesas que ouçam seu povo, libertem os presos políticos e reativem a transição democrática imediatamente. Esse é o único caminho para a estabilidade e a paz", frisou Guterres.

Ele insistiu em que é vital colocar em prática um plano de paz acordado com a junta, mas que não foi executado. Trata-se de um consenso de cinco pontos para pôr fim ao caos no país, firmado em abril de 2021 pela comunidade internacional e pela junta, mas que foi ignorado pelos generais.

Na sexta-feira, os líderes da ASEAN encarregaram seus ministros das Relações Exteriores de traçar um plano concreto para colocar esse consenso em ação.

pdw/cwl/mas/me/tt