Michelle Bolsonaro diz que piadas com vídeo são “intolerância religiosa”

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Michelle Bolsonaro
    37.ª Primeira-dama da República Federativa do Brasil
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil
Primeira-dama Michelle Bolsonaro em comemoração ao lado de André Mendonça (Foto: Reprodução)
Primeira-dama Michelle Bolsonaro em comemoração ao lado de André Mendonça (Foto: Reprodução)
  • Michelle Bolsonaro diz que piadas com vídeo são “intolerância religiosa”

  • Primeira-dama pulou e deu "glória a Deus" em comemoração por aprovação de André Mendonça ao STF

  • Em uma rede social, chamou também de "desamor" críticas à celebração

A primeira-dama Michelle Bolsonaro rebateu as “piadas” que recebeu após viralizarem as imagens em que comemora a aprovação do nome de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal (STF). Ela classificou a repercussão como “intolerância religiosa” e “desamor”.

"Usarei 1 Coríntios 2:10-14 para responder à intolerância religiosa e o desamor de muitos a meu respeito, por celebrar a vitória do meu irmão em Cristo André Mendonça 'Ora, o homem natural não compreende as coisas do espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente", escreveu, em sua conta no Instagam.

A esposa do presidente Jair Bolsonaro postou uma matéria com o seguinte título: “Michelle Bolsonaro vira chacota na web após comemorar aprovação de Mendonça”.

Postagem da primeira-dama Michelle Bolsonaro no Instagram (Foto: Reprodução)
Postagem da primeira-dama Michelle Bolsonaro no Instagram (Foto: Reprodução)

André Mendonça é pastor e foi advogado-geral da União e ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro.

Nas imagens que circulam na internet, Michelle estava ao lado de Mendonça quando descobriu que o indicado “terrivelmente evangélico” havia sido aprovado pelos senadores.

Visivelmente emocionada, ela levanta os braços, diz “glória a Deus”, dá pulinhos de júbilo, fala “aleluia”, emenda numa língua estranha e até parece chorar de emoção.

Após a aprovação, o futuro novo ministro da Suprema Corte afirmou que sua aprovação representa “um salto para os evangélicos”.

Piadas nas redes sociais diziam que a reação de Michelle Bolsonaro, na verdade, aconteceu ao descobrir o arquivamento da investigação sobre o cheque de R$ 89 mil que Fabrício Queiroz depositou em sua conta.

Aliados do presidente reagiram e também consideraram os comentários como “preconceito religioso”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos