Microsoft compra Activision Blizzard, de Call of Duty e Overwatch, por R$ 385 bi

Microsoft compra Activision mesmo após escândalos sexuais envolvendo a empresa de games
Microsoft compra Activision mesmo após escândalos sexuais envolvendo a empresa de games (Photo by Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
  • Microsoft compra Activision Blizzardm responsável por marcas como World of Warcraft

  • Phil Spencer deve comandar "faxina" na empresa

  • Activision Blizzard vai continuar operando de forma independente

A Microsoft anunciou que vai comprar a Activision Blizzard, uma das maiores empresas dos games do mundo - responsável por marcas como Call of Duty, Diablo, Overwatch, World of Warcraft e Guitar Hero.

Segundo as primeiras informações, o negócio deve girar em torno de US$ 70 bilhões (algo em torno de R$ 385 bilhões). A aquisição da Microsoft engloba ainda estúdios como Treyarch, Raven, Toys for Bob, High Moon, Beenox, Sledgehammer Games e Demonware.

Quando a transação for confirmada, a Microsoft se tornará a terceira maior companhia de games em termos de receita, atrás da Tencent e da Sony", diz o anúncio oficial do acordo. A aquisição planejada inclui franquia icônicas dos estúdios da Activision, Blizzard e King, como Warcraft, Diablo, Overwatch, Call of Duty e Candy Crush, além de atividades globais de esports por meio da Major League Gaming. A companhia tem estúdios ao redor do mundo com mais de 10 mil funcionários, diz comunicado da Microsoft

A transação foi colocada em xeque por alguns analistas do mercado por causa dos recentes escândalos envolvendo a Activision Blizzard, incluindo assédio sexual e assedio moral no trabalho. O caso é que com a aquisição pode significar a demissão de muitos nomes ligados aos escândalos.

Nova organização

A Microsoft anunciou que a Activision Blizzard e seus executivos vão se comunicar diretamente com Phil Spencer, líder da divisão Xbox, como diretor da linha Microsoft Gaming. Assim, na teoria, Spencer deve ser tornar o grande responsável pela empresa e por sua "faxina". No passado, Spencer se mostrou preocupado com a possível aquisição da empresa de games. Parece que mudou de ideia.

O anúncio também teve uma declaração do CEO da Microsoft, Satya Nadella, que chegou a citar um dos termos mais adorados pela indústria nos últimos tempos — o metaverso:

"Games são a forma de entretenimento mais dinâmica e excitante em todas as plataformas nos dias atuais, e terão um papel chave no desenvolvimento de plataformas do metaverso", diz o chefe. "Estamos investindo profundamente em conteúdo, comunidade e nuvem de classe mundial para trazer uma nova era para os games que colocarão jogadores e criadores em primeiro lugar, e farão jogos seguros, inclusivos e acessíveis a todos."

Em texto de apresentação, Phil Spencer indicou que a Activision Blizzard vai continuar operando com liberdade e de forma independente. Isso talvez indique que os jogos da empresa continuem multiplataforma, como Mojang e Minecraft, que são da Microsoft mas continuam saindo em outros aparelhos.

O polêmico CEO da Activision Blizzard, envolvido em uma série de escândalos, a princípio, fica no cargo.

Bobby Kotick continuará a servir como CEO da Activision Blizzard... Assim que o acordo for fechado, os negócios da Activision Blizzard reportarão para Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming", diz a mensagem de um representante da Microsoft.