Microsoft anuncia compra da Skype por US$ 8,5 bilhões

Nova York, 10 mai (EFE).- A Microsoft anunciou nesta terça-feira que chegou a um acordo para comprar a Skype por US$ 8,5 bilhões em dinheiro, pagos ao grupo de investidores liderado pela Silver Lake.

O fabricante do sistema operacional Windows explicou nesta terça-feira em comunicado enviado à imprensa que a operação já foi aprovada pelos conselhos administrativos de ambas as empresas.

"A aquisição aumentará a acessibilidade das comunicações de vídeo e voz em tempo real, com benefícios para os consumidores e empresas usuárias, e gerará significativos novos negócios e oportunidades de receita", indicou a Microsoft.

Com 170 milhões de usuários conectados e mais de 207 bilhões de minutos de conversas tanto de voz como de vídeo realizados durante o ano passado, a Skype foi pioneira no âmbito das comunicações sobre IP (protocolo de internet).

"O Skype é um serviço fenomenal que é amado por milhões de pessoas no mundo todo", disse o executivo-chefe da Microsoft, Steve Ballmer, ao anunciar a operação.

"Juntos vamos criar o futuro das comunicações em tempo real para que as pessoas possam se manter conectadas com sua família, amigos, clientes e colegas em qualquer parte do mundo", acrescentou no comunicado.

Depois de concluída a integração, a Skype passará a ser uma nova divisão de negócios da Microsoft e o seu executivo-chefe, Tony Tacos, assumirá a presidência da Microsoft Skype Division.

"A Microsoft e a Skype compartilham a visão de levar a inovação de software e produtos a nossos clientes", disse Tacos no mesmo comunicado, no qual acrescentou que a união acelerará os planos da Skype de ampliar sua "comunidade global e introduzir novas formas para que todos possam se comunicar e colaborar".

Já o diretor de gestão da Silver Lake, Egon Durban, afirmou que o grupo investidor está "impressionado" com a transformação conquistada pelo Skype nos últimos anos e "entusiasmado" com o projeto criado agora com a Microsoft, que "está a ponto de se transformar em uma das plataformas mais dinâmicas e completas do mundo das comunicações". EFE