Microsoft Bing pode ganhar reforço do ChatGPT nas próximas semanas; veja imagens

A Microsoft pretende incorporar a tecnologia GPT-4 no mecanismo de busca Bing, em vez de usar a versão atual do ChatGPT. A inteligência artificial voltada para escrita é criada sobre a GPT-3.5, uma espécie de intermediária entre as IAs de chatbots mais antigas e o futuro das conversas naturais entre seres humanos e máquinas.

O anúncio não chega a ser uma surpresa, pois já havia sido feito pela Microsoft há vários dias. O que surpreende é o suposto prazo para isso ocorrer: nas "próximas semanas" — o que ainda não foi confirmado oficialmente pela Microsoft. Esperava-se que a GPT-4 ainda levasse mais algum tempo para ser desenvolvida, com as primeiras versões abertas chegando no meio do ano.

Com a implementação no Bing, a Microsoft seria a primeira companhia do mundo a exibir a versão recente da IA, com foco nas conversas mais naturais. As imagens acima foram divulgadas pelo usuário do Twitter Owen Yin, que afirma ter o conseguido acessar o ChatGPT ativado no buscador no modo de testes.

Como se parece o ChatGPT no Bing?

Pelo vídeo gravado por Yin, dá para ver uma guia chamada Chat logo abaixo do campo de texto do Bing. Ao clicar ali, o usuário verá um aviso parecido com o presente no ChatGPT, podendo fazer perguntas diretas para o buscador, em vez de buscar manualmente nos sites dos resultados.

O “novo Bing”, como foi chamado pela Microsoft, incluiria uma caixa de perguntas com suporte para até mil caracteres. As respostas serão dadas como um robô de bate-papo, trazendo informações, exemplos e contextualização, como o ChatGPT já faz atualmente. A principal diferença seria que o Bing citaria as fontes de informação logo abaixo das respostas.

A promessa do GPT-4 é oferecer respostas mais rápidas, com maior nível de precisão e um pouco mais de segurança para as consultas no buscador. A modelagem atual do ChatGPT é criticada por errar demais, espalhar mentiras como se fosse verdade e não indicar a fonte das informações.

O formato GPT-2 foi criado pela OpenAI e recebeu duas atualizações posteriores (GPT-3 e GPT-3.5), sendo o precursor das conversas criadas com técnicas de aprendizado profundo de máquina (deep learning). Após várias melhorias, a companhia chegou finalmente ao modelo GPT-4, considerado atualmente o modelo de linguagem mais avançado do mercado.

Microsoft quer tecnologia incorporada em todos os seus produtos

Mais do que apenas entregar um serviço otimizado, a criadora do Windows pretende bater de frente com o rival Google pelo mercado de pesquisas na internet. Além do buscador, a empresa de Redmond ainda pretende implementar a tecnologia no seu sistema operacional e na suíte de aplicativos Microsoft 365 (antigo Office).

Os e-mails do Outlook, por exemplo, receberiam sugestões automáticas de respostas criadas pelo robô de conversa. Já no PowerPoint, as apresentações poderiam ser quase totalmente criadas pelo serviço, exigindo menos esforços do usuário.

Ontem (3), o Teams recebeu um pacote premium que traz dezenas de recursos desenvolvidos com a tecnologia GPT incorporada. A IA consegue transcrever toda a reunião de vídeo, selecionar os pontos mais importantes e ainda fazer recomendações de tarefas para execução.

A OpenIA também parece interessada em lucrar ainda mais com sua solução. Além de otimizar o ChatGPT, que alcançou 100 milhões de usuários em apenas dois meses, a empresa anunciou o lançamento do plano Plus, que deve oferecer acesso prioritário e mais velocidade no uso da ferramenta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: