Microsoft fecha acordo para levar "Call of Duty" para Nvidia caso conclua compra da Activision

Por Foo Yun Chee e Stephen Nellis

BRUXELAS (Reuters) - A Microsoft fechou um acordo de 10 anos para trazer "Call of Duty" e outros jogos da Activision para a plataforma de videogames da Nvidia se puder concluir a aquisição da produtora por 69 bilhões de dólares.

O presidente da Microsoft, Brad Smith, disse em entrevista coletiva na terça-feira que agora está mais otimista em concluir a aquisição da Activision após o negócio com a Nvidia e um acordo semelhante com a Nintendo.

Phil Eisler, vice-presidente e gerente geral do segmento GeForce Now da Nvidia, disse que títulos como "Call of Duty" não estarão disponíveis no serviço da Nvidia a menos que a Microsoft adquira a Activision, mas que outros títulos de propriedade da Microsoft, como "Minecraft" estão cobertos imediatamente sob o contrato de licença de 10 anos.

Eisler disse que a Nvidia não está pagando à Microsoft pelo acesso aos títulos, que é o mesmo acordo que a empresa tem com outras companhias como a Epic Games, produtora de "Fortnite". Em vez disso, os 25 milhões de usuários da Nvidia precisarão pagar à Microsoft pelo acesso aos jogos na plataforma.

A Nvidia disse que agora apóia acompra da Activision pela Microsoft, mas que o negócio ainda pode ser difícil de passar por reguladores da concorrência.

Smith disse esperar que a rival Sony considere fazer o mesmo tipo de acordo com a Nvidia feito pela Microsoft.

A Sony lidera a oposição à compra da Activision pela Microsoft. A companhia japonesa afirmou no ano passado que o negócio é "ruim para a concorrência, ruim para a indústria de games e ruim para os próprios jogadores".

Além de Sony e Nvidia, outras empresas, incluindo Google, expressaram preocupação a autoridades dos Estados Unidos sobre o negócio, de acordo com relatos da mídia.

A Microsoft prometeu manter "Call of Duty" na plataforma PlayStation, da Sony. A gigante da tecnologia disse que a compra da produtora responsável também por títulos como "Overwatch" e "Candy Crush" aumentará seu crescimento em jogos para celulares, PCs e baseados em computação em nuvem, bem como em consoles, ajudando-a a competir com empresas como Tencent e Sony.