Microsoft lança nuvem 'soberana' para governos

Por Supantha Mukherjee

ESTOLCOMO (Reuters) - A Microsoft lançou nesta terça-feira um serviço de nuvem para clientes governamentais, com maior controle de dados, e fez parceria com o grupo de defesa italiano Leonardo e a empresa de telecomunicações belga Proximus.

A pandemia da Covid-19 desencadeou uma transformação digital em muitas organizações do setor público e a Microsoft espera usar sua nuvem para competir melhor com rivais como Amazon Web Services e Google, da Alphabet.

O tamanho do mercado global de nuvem governamental deve atingir 71,2 bilhões de dólares até 2027, ante 27,6 bilhões de dólares em 2021, segundo a empresa de pesquisa Imarc.

"Esperamos clientes em todo o mundo... mas os primeiros interessados foram na Europa", disse o vice-presidente corporativo Corey Sanders, acrescentando que a empresa está realizando pré-visualizações privadas com os clientes.

A União Europeia tem estado na vanguarda da lei de privacidade e segurança e seu órgão de vigilância da privacidade lançou uma investigação no início deste ano sobre o uso de serviços baseados em nuvem pelo setor público para verificar se as empresas estão cumprindo suas salvaguardas de privacidade.

Além dos recursos tecnológicos mais recentes e do custo mais baixo, a Microsoft disse que seu produto em nuvem cumpre as obrigações ligadas à governança de dados, controles de segurança, privacidade dos cidadãos, residência de dados e outros requisitos legais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos