Mídia internacional destaca troca no comando de 6 ministérios como associada à crise da covid

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro
Pressionado, presidente Jair Bolsonaro anunciou troca em seis ministérios (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
  • Bolsonaro oficializou 6 mudanças no comando da Esplanada em uma 'mini-reforma ministerial'

  • Mídia internacional associou a troca à crise da pandemia da covid-19

  • Pastas da Defesa, Relações Exteriores, Justiça, Casa Civil, Secretaria de Governo e AGU foram movimentadas

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na segunda-feira (29) seis mudanças no alto escalão do governo. A troca foi destaque em veículos de imprensa internacionais como associadas à crise da pandemia de covid-19.

A Bloomberg associou as alterações à situação “fora de controle” da pandemia no Brasil. O Wall Street Journal destacou a “raiva” causada pelo aumento no número de mortos. Na CNN, além da ênfase na a situação da pandemia, a emissora afirmou que as mudanças foram feitas para “assegurar lealdade” em meio à crise.

Leia também:

O jornal argentino Clarín escreveu que o presidente Jair Bolsonaro está “encurralado pelo descontrole do coronavírus”. A publicação deu destaque para a demissão de Ernesto Araújo, a quem chamou de “polêmico”, e se referiu a entraves diplomáticos para a obtenção da vacina para a covid-19 ressaltando que o ex-chanceler tinha um “furioso desprezo” pela China e pela Rússia.

Já o jornal francês Le Monde destacou a surpresa na ação do presidente, apontando que só a saída de Ernesto Araújo era esperada. A publicação também chamou a política do governo contra o coronavírus de “fiasco” e relembrou a troca recente no Ministério da Saúde.

O jornal britânico The Guardian e o espanhol El País noticiaram a saída de Ernesto Araújo e apontaram principalmente a relação diplomática entre Brasil e China.

Veja lista das pastas que terão novo ministro:

  • Casa Civil: sai Walter Braga Neto, entra Luiz Eduardo Ramos

  • Secretaria de Governo: sai Luiz Eduardo Ramos, entra deputada Flávia Arruda (PL-DF) 

  • Advocacia-Geral da União (AGU): sai José Levi, entra André Mendonça

  • Ministério da Defesa: sai Fernando Azevedo, entra Walter Braga Neto

  • Ministério da Justiça e Segurança Pública: sai André Mendonça, entra Anderson Torres, ex-secretário de Segurança Pública do DF 

  • Ministério das Relações Exteriores: sai Ernesto Araújo, entra o embaixador Carlos Alberto Franco França.

Brasil vive maior colapso sanitário de sua história

Enquanto a vacinação não avança, a escalada da Covid-19 chegou ao ponto mais crítico no Brasil, deixando quase todos os estados à beira do colapso na saúde. De acordo com a Fiocruz, trata-se da maior crise sanitária da história do país.

Entre as 27 unidades da federação, 24 estados e o DF estão com ocupação de leitos de UTI acima dos 80%. Entre esses estados, 15 tem ocupação maior que 90%. Roraima (73%) e Rio de Janeiro (79%) são as únicas duas unidades da federação com índices mais baixos.