Migrações internacionais cresceram em 2020, apesar da pandemia de Covid-19

·1 min de leitura

A migração internacional cresceu no último ano, apesar do impacto dramático da pandemia de Covid-19 que levou alguns países a impor restrições nas fronteiras, afirmou nesta quarta-feira (1°) a Organização Internacional para as Migrações (OIM), agência da ONU.

Um relatório da Organização Internacional para as Migrações (OIM) das Nações Unidas informa que a quantidade de migrantes internacionais cresceu e chegou a 281 milhões em 2020, ou seja, 3,6% da população mundial. Em 2019, esse número era de 272 milhões, o equivalente a 3,5% da população mundial.

O número representa quase 200 milhões a mais que em 1970, quando foram registrados 84 milhões de migrantes internacionais, o equivalente a 2,3% da população do planeta na época.

Mas a OIM destacou que, sem a pandemia, seriam dois milhões de migrantes internacionais a mais no ano passado, pois o vírus, de alguma fora, chegou a impor mais barreiras ao trânsito nas fronteiras.

O relatório da agência da ONU destaca que a Covid-19 foi "um grande perturbador" da migração e da mobilidade no mundo. Apenas no primeiro ano da pandemia, foram adotadas quase 108.000 restrições de viagens, enquanto o número de passageiros aéreos caiu 60%, ou seja, 1,8 bilhão de pessoas no mundo, contra 4,5 bilhões em 2019.

A Covid-19 "sem dúvida mudou o mundo e afetou cada aspecto da migração", declarou a autora do estudo, Marie McAuliffe.

"Paradoxo"

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Crise dos migrantes: tensões entre Londres e Paris aumentam após mensagem de Johnson a Macron
Migrantes não podem ser usados como armas, diz chefe da diplomacia europeia
Grécia: 24 ativistas podem pegar 25 anos de prisão por salvar migrantes

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos