Migrantes no México estão em 'extrema vulnerabilidade', alerta MSF

·2 minuto de leitura
Imigrantes da América Central e do Haiti caminham em uma caravana para os Estados Unidos, em Huixtla, estado de Chiapas, México, em 4 de setembro de 2021 (AFP/JACKY MUNIELLO)

Dezenas de milhares de migrantes estão em situação de "extrema vulnerabilidade", em locais superlotados e sem serviços médicos, em duas cidades do México, alertou a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) nesta segunda-feira (6).

Um comunicado da ONG alerta que a deterioração da situação dos migrantes é resultado das contínuas deportações dos Estados Unidos e do "fracasso" das políticas de asilo do México.

O MSF aponta duas grandes concentrações, na cidade de Tapachula, no sul, perto da fronteira com a Guatemala e passagem obrigatória para migrantes, e em Reynosa, município no nordeste, que faz fronteira com os Estados Unidos.

A organização denuncia "as condições de superlotação e falta de acesso a serviços médicos e sociais sofridas por essas comunidades", segundo a nota.

Em Tapachula, onde, de acordo com as autoridades, há cerca de 40 mil migrantes, o MSF enviou uma equipe de emergência para "fornecer assistência médica, psicológica e de serviço social".

“Essas pessoas se encontram com poucas alternativas de abrigo, amontoadas ou em situação de rua com péssimas condições sanitárias e risco de contágio pela covid-19”, afirmou Christoph Jankhöfer, coordenador do projeto de migrantes do MSF no México.

Em Reynosa, diz o MSF, há cerca de 2 mil pessoas, a maioria centro-americanos, morando em barracas a cerca de 200 metros da fronteira, expostas a altas temperaturas, sem acesso adequado a serviços básicos e com alto risco de segurança.

Diferentes organizações alertaram sobre as más condições dos migrantes no México depois que, na última semana, a Guarda Nacional e a polícia interromperam a passagem de quatro caravanas que saíam de Tapachula em busca de chegar aos Estados Unidos.

Ativistas e agências das Nações Unidas que os acompanham denunciaram o uso excessivo da força por agentes de segurança mexicanos. O Instituto Nacional de Migração suspendeu dois oficiais na semana passada por agressão a um migrante.

Os migrantes, fugindo da violência e da pobreza em seus países de origem, tentam chegar aos Estados Unidos para pedir refúgio.

Após a chegada do democrata Joe Biden à Casa Branca, a quantidade de pessoas que tentam atravessar ilegalmente a fronteira a partir do México se multiplicou.

sem/jla/lm/ic/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos