Mike Tyson atribui derrota histórica em Tóquio à 'maratona sexual

·1 minuto de leitura

Amigo íntimo do sucesso e do ostracismo, o lutador Mike Tyson fez carreira com nocautes históricos e excentricidades típicas de uma estrela – como ter tigres brancos de estimação e uma banheira de ouro – mas, no último dia 11, um episódio marcante na vida do norte-americano fez aniversário: há 31 anos, Iron Mike foi derrubado por knockout, em Tóquio, no Japão, por Buster Douglas. A derrota, que lhe custou a perda de três títulos mundiais, teve um motivo específico, revelado pelo o que próprio lutador: uma "maratona sexual".

"Um dia antes da luta eu fiz sexo com duas empregadas domésticas ao mesmo tempo", disse Tyson.

“No dia 8 de janeiro de 1990, peguei um avião para voar para Tóquio, gritando e chutando. Não queria lutar, tudo o que me interessava era festejar e fazer sexo com mulheres. Não considerava Douglas como um grande desafio. Nem me dei ao trabalho de assistir a nenhuma de suas lutas em vídeo. Tinha vencido facilmente todos que o nocautearam”, contou o boxeador, na autobiografia.

Na época, com 23 anos, Tyson era casado com a atriz e modelo Robin Givens, com quem teve um relacionamento e divórcio tumultuado.

“Além de fazer sexo com as empregadas domésticas, estava vendo uma jovem japonesa com quem tinha transado na última vez que estive no Japão. Robin tinha indo às compras e eu estava descendo para os fundos do hotel, onde essa jovem tinha um quarto. Esse foi o meu treinamento para enfrentar Douglas”, relembrou o boxeador de 54 anos.