Mike Tyson reprova minissérie biográfica e compara streaming a escravocratas

Mike Tyson na T-Mobile Arena em 7 de maio de 2022 em Las Vegas, Nevada. (Foto: Al Bello/Getty Images)
Mike Tyson na T-Mobile Arena em 7 de maio de 2022 em Las Vegas, Nevada. (Foto: Al Bello/Getty Images)

Mike Tyson, de 56 anos, usou as redes sociais nesta segunda-feira (8) para expressar publicamente sua insatisfação com a minissérie que o Hulu está desenvolvendo focada em sua vida e carreira.

O pugilista se posicionou contra o projeto do streaming, que será estrelado pelo ato Trevante Rhodes, de "Moonlight: Sob a Luz do Luar". De acordo com Tyson, a plataforma não o pagou para retratar sua vida na biografia.

"Não deixe o Hulu te enganar. Eu não apoio a história deles sobre a minha vida. Não é 1822, é 2022. Eles roubaram a minha história de vida e não me pagaram", declarou.

Em seguida, o ex-atleta comparou os produtores responsáveis pela minissérie com escravocratas. "Para os executivos do Hulu, eu sou apenas um [epíteto racial] que eles podem vender em um leilão. É a versão em streaming dos mestres de escravos", completou.

A biografia planeja mostrar a ascensão do pugilista e como ele se tornou um dos maiores boxeadores da história dos Estados Unidos. A ideia da produção é mostrar suas vitórias e também sua condenação pelo estupro de Desiree Washington, em 1992. O elenco também terá Lili Eubanks ("All Rise"), Harvey Keitel ("Cães de Aluguel"), Laura Harrier ("Homem-Aranha: De Volta ao Lar").

Os episódios da série "Mike" são dirigidos por Craig Gillespie, com base no roteiro assinado por Steven Rogers, dupla responsável por "Eu, Tonya". A produção estreia no Star+ no dia 25 de agosto.