Área que sediará cúpula coreana foi palco de vários episódios de tensão

Seul, 26 abr (EFE).- A área de segurança conjunta (JSA), tensa região no coração da fronteira entre as duas Coreias e único ponto onde soldados dos dois países ficam próximos, será o palco da histórica cúpula desta sexta-feira entre Kim Jong-un e Moon Jae-in.

Poucos locais no mundo viveram ao longo da história tantos episódios de tensão em uma área tão pequena. A JSA tem cerca de 800 metros de norte a sul e 400 metros de leste a oeste.

O acampamento está justamente no meio da região desmilitarizada, o espaço de quatro quilômetros de largura e 238 quilômetros de comprimento que divide a península em duas. Ele foi construído após a assinatura do cessar-fogo que encerrou a Guerra da Coreia, em 1953, e às vezes é chamado de Panmunjom.

O nome, porém, não é o correto. Panmunjon, na realidade, era um pequeno povoado rural a cerca de um quilômetro da JSA onde a trégua que encerrou o conflito foi assinada.

Até 1976, militares dos dois países podiam caminhar pela área livremente, mas isso mudou após um grave incidente registrado naquele ano. Dois oficiais dos Estados Unidos foram assassinados por soldados norte-coreanos e foi decidido que a JSA seria dividida em duas.

Esse é o fato mais grave já registrado na JSA. A morte dos soldados fez os EUA colocarem seu exército em nível de alerta Defcon 3, preparado para um ataque contra a Coreia do Norte, evitado graças à intermediação da Coreia do Sul.

O local também foi palco de outros episódios perigosos, como a deserção de um estudante soviético em 1984 que provocou um tiroteio que deixou três soldados norte-coreanos e um sul-coreano morto.

Mais recentemente, em novembro de 2017, a JSA viveu também a espetacular deserção de um soldado norte-coreano que na fuga foi baleado por vários de seus companheiros. Ele sobreviveu após ser operado em um hospital da Coreia do Sul, onde vive atualmente.

Por outro lado, a JSA também foi o principal local de diálogo entre as duas Coreias após o fim da guerra. Desde 1971, ano em que os dois países retomaram as conversas de maneira intermitente, a área recebeu mais de 360 reuniões, de acordo com dados do Ministério de Unificação da Coreia do Sul.

No entanto, nunca antes a JSA foi palco de uma cúpula entre os líderes dos dois países. As realizadas em 2000 e 2007 ocorreram em Pyongyang, capital da Coreia do Norte.

Várias dessas reuniões entre representantes dos dois países ocorreram na Peace House, edifício que fica na parte sul da JSA, o que obrigaria Kim Jong-un a ser, tecnicamente, o primeiro líder da Coreia do Norte a pisar no território do Sul.

O prédio, construído em 1989, é controlado pelo Serviço Nacional de Inteligência da Coreia do Sul, e tem 3.300 metros, divididos em três andares. A cúpula será realizada no segundo piso. EFE