Milhares de australianos vão às ruas contra vacinação anticovid

·1 min de leitura
Protesto contra a vacinação anticovid-19 toma as ruas de Melbourne, na Austrália, em 20 de novembro de 2021 (AFP/William West)
Protesto contra a vacinação anticovid-19 toma as ruas de Melbourne, na Austrália, em 20 de novembro de 2021 (AFP/William West)

Resumo da notícia 

  • Foram diversas cidades na Austrália que tiveram as manifestações contra a vacina anticovid-19

  • Cerca de 85% dos australianos com mais de 16 anos estão totalmente vacinados

  • Em algumas partes da Austrália a vacinação é obrigatória

Milhares de pessoas se manifestaram neste sábado (20) em várias cidades da Austrália contra a vacinação anticovid-19.

 Cerca de 85% dos australianos com mais de 16 anos estão totalmente vacinados.

 Os manifestantes tomaram as ruas das principais cidades do país para protestar contra a vacinação obrigatória, a qual é exigida apenas em alguns estados e territórios para determinados grupos profissionais.

 Em Melbourne, milhares de pessoas pediram a prisão do primeiro-ministro do estado, Daniel Andrews, opondo-se a um projeto de lei que dá ao governo de Victoria mais poderes para lutar contra a pandemia.

 Não houve confrontos com a polícia, ao contrário do ocorrido em manifestações anteriores.

 Nesta mesma cidade, cerca de 2.000 pessoas compareceram a uma contramanifestação, uma das primeiras deste tipo desde o início da pandemia.

 "Estou aqui, porque estou enojada com o que está acontecendo nas ruas da minha cidade, Melbourne", disse Maureen Hill à AFP, referindo-se ao protesto antivacinas.

 "Tudo o que foi feito, foi feito para salvar vidas. Quer dizer, incomodou muitas pessoas e afetou muitas pessoas, mas é uma pandemia mundial. O que mais podemos fazer?", questionou, em alusão às medidas de saúde pública adotadas pelas autoridades.

 Em Sydney, até 10.000 pessoas compareceram aos protestos, de acordo com a polícia.

 Com mais de 25 milhões de habitantes, a Austrália registrou mais de 195.000 casos e 1.933 mortes relacionadas com o coronavírus.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos