Milhares de palestinos participam de funeral das 21 vítimas de incêndio em Gaza

Milhares de palestinos participaram, nesta sexta-feira (18), dos funerais das 21 vítimas de um incêndio que arrasou um prédio no norte da Faixa de Gaza na véspera.

O Hamas, o movimento islâmico que governa este enclave palestino sob bloqueio israelense, informou que havia combustível armazenado nesse edifício de três andares localizado no acampamento de refugiados de Jabalia.

Segundo o diretor do Hospital de Jabalia, Salah Abu Laila, pelo menos sete menores morreram no incêndio. Cerca de 15 pessoas ficaram feridas no acidente.

Os mortos foram envoltos em bandeiras palestinas e levados por uma multidão, do acampamento até o cemitério de Beit Lahia, uma comuna adjacente, observaram os jornalistas da AFP.

O incêndio "lembra ao mundo o drama humanitário vivido por Gaza sob o bloqueio", sem recursos para controlar os incêndios, criticou o líder do Hamas, Ismail Haniyeh, na quinta-feira (17).

O rígido bloqueio israelense a Gaza está em vigor desde 2007.

Israel disse que permitiria a passagem dos feridos pelo posto de controle de Erez, mas não ficou claro se alguma das vítimas do incêndio foi retirada.

Neste território empobrecido e superpopuloso, o abastecimento de energia elétrica é escasso. Os incêndios são frequentes, porque a população local busca meios alternativos para cozinhar e ter luz, inclusive o uso de lamparinas a petróleo.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, órgão com sede na Cisjordânia sem autoridade sobre Gaza, decretou um dia de "luto nacional", segundo seu porta-voz.

az/cgo/vl/an/eg/tt