Protestos contra possível derrubada do direito ao aborto reúnem milhares nos EUA

Manifestantes tomaram as ruas dos Estados Unidos contra possível decisão da Suprema Corte sobre aborto. (Foto: Getty Creative)
Manifestantes tomaram as ruas dos Estados Unidos contra possível decisão da Suprema Corte sobre aborto. (Foto: Getty Creative)

As ruas de várias cidades do Estados Unidos foram tomadas neste sábado (14) por manifestantes em defesa do direito ao aborto. Os protestos foram convocados em resposta à ameaça de que a Suprema Corte estaria disposta a rever a histórica decisão de 1973, que garantiu o aborto legal no país.

A polêmica teve início depois que um rascunho da decisão final da Corte, que tem maioria conservadora, foi vazado na imprensa. A decisão final do tribunal, que pode permitir que os estados proíbam o aborto, está prevista para junho.

Foram registradas grandes manifestações em Washington, Nova York, Chicago, Austin e Los Angeles. Próximo do Monumento a Washington no National Mall, alguns manifestantes mostravam cartazes com mensagens como “Como eles ousam”, “Somos a maioria” e “Revide. Proteja a escolha”. Também ocorreram ações antiaborto e a favor da possível decisão da Suprema Corte em nove estados, segundo Students for Life of America. Em geral, as manifestações foram pacíficas e sem intercorrências.

A provável anulação da jurisprudência do caso Roe vs. Wade deve trazer reflexos nas eleições de meio de mandato. Em jogo estará o controle das duas câmaras do Congresso. Atualmente, os democratas ocupam a Casa Branca e as duas câmaras do Congresso, e esperam que a reação à decisão da Suprema Corte leve à vitória dos seus candidatos nas eleições de novembro.

Na última semana, manifestantes já tinham se reunido para protestar em frente às casas de juízes da Suprema Corte. As ativistas disseram que não irão parar e que o ato deste sábado será o primeiro de muitos contra a decisão da Suprema Corte.

"Roe vs Wade"

A Suprema Corte dos Estados Unidos estabeleceu em janeiro de 1973 que o direito ao respeito à vida privada garantido pela Constituição se aplicava ao aborto. A decisão conhecida até hoje como "Roe vs Wade" diz respeito a uma ação movida três anos antes em um tribunal do Texas.

Na ocasião Jane Roe, pseudônimo de Norma McCorvey, uma mãe solteira grávida pela terceira vez, contrariou a constitucionalidade da lei do Texas que tornava o aborto um crime. O caso chegou à mais alta jurisdição do país depois que Jane entrou com um recurso contra o promotor de Dallas, Henry Wade. Na ocasião, a alta corte derrubou as leis do Texas sobre aborto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos