Milhares de ucranianos voltam para Donetsk

Milhares de ucranianos estão a voltar para a região de Donetsk, no leste da Ucrânia, porque não têm dinheiro para viver em locais mais seguros.

Apesar de estarem a pouco quilómetros da linha da frente de combate, estas pessoas voltam para as suas casas.

Em Kramatorsk, nos dias a seguir à invasão russa, a população baixou dos 220.000 para os 50.000. Entretanto, já subiu para os 68.000.

Entre os retornados estão Tamara Markova, de 82 anos, e o filho Mykola, que tem problemas de locomoção.

"Deram-nos comida, tínhamos tudo na evacuação, mas era temporário. Depois disseram-nos para irmos para um lar de idosos e o meu filho recusou", diz a anciã.

Muitos destes ucranianos, que falam russo, sentiram-se descriminados em outras partes dos país, mas o principal problema e que os fez voltar a casa, apesar dos riscos, é a falta de dinheiro para começar de novo.

"Compreendo que é muito arriscado ficar aqui na cidade, mas se partirmos, não temos ninguém à nossa espera lá. Quem cuidará de nós? Precisamos de ganhar dinheiro", sublinha a jovem Karina Smulska, de 18 anos.

Os riscos são muitos e estas pessoas convivem com a morte todos os dias. Uma mulher de 35 anos morreu ao ser atingida por um míssil quando estava no exterior de casa, apenas dois dias depois de ter regressado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos