Miliciano da Gardênia Azul, na Zona Oeste do Rio, é preso pela Polícia da Paraíba

·1 minuto de leitura

A Polícia Civil da Paraíba prendeu o miliciano Almir Rogério Gomes da Silva, apontado como um dos chefes da milícia da Gardênia Azul. Segundo a Policia Civil do Rio, Almir estava sendo monitorado pelos agentes fluminenses e paraibanos, sendo localizado no município de Queimadas, naquele estado. Além de Almir, foi preso um de seus cúmplices, que o acompanhava.

Almir foi denunciado pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio com mais três homens acusados pela execução de Eliezio Victor do Santos Lima, em outubro de 2018. A Polícia Civil do Rio entrou com pedido de prisão do criminoso. Segundo a polícia fluminense, os presos serão enviados nesta quinta-feira para o Rio. Almir é suspeito ainda de atuar numa milícia no bairro do Tirol, na área de Jacarepaguá.

O G1 da Paraíba ouviu o delegado Dego Beltrão, da Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), daquele estado, que disse que, em 3 de junho deste ano, Almir teria cometido um outro homicídio. Na opinião do delegado, talvez tenha sido por isso que o miliciano fugiu para a Paraíba. Beltrão informou ainda que Almir vai passar por uma audiência de custódia nesta quinta-feira.

— Parte dos milicianos ligados ao homem capturado em Queimadas hoje (quarta-feira) já foi presa em operações policiais naquele estado. Mas ele, que é um dos chefes desse grupo, conseguiu escapar dessas investidas. Trata-se de um criminoso muito perigoso, com indícios fortes de que estava traficando drogas e planejando ataques a instituições financeiras no nosso estado —, disse o delegado ao G1 da Paraíba.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos