Milicianos trocam tiros na Zona Oeste do Rio. Tentativa de invasão contaria com homens armados em 12 carros

·2 min de leitura

Moradores usaram as redes sociais para denunciar que, neste sábado, milicianos rivais trocaram tiros nas localidades conhecidas como Jesuítas e Manguariba, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Segundo os relatos, pelo menos 12 veículos ocupados por milicianos foram vistos circulando nas ruas com portas abertas e homens portando fuzis . A disputa envolveria homens do bando de Danilo Dias Lima, o Danilo Tandera, e Luiz Antônio da Silva Braga, o Zinho.

Este último estaria tentando recuperar o controle de negócios irregulares explorados pela milícia nas duas localidades. Ainda não há confirmação de mortos ou feridos. A Polícia Militar informou que policiais militares do 27°BPM (Santa Cruz), dos batalhões subordinados ao 2° Comando de Policiamento de Área, e PMs das equipes de Rondas Especiais e de Controle de Multidões, estão atuando nas localidades com auxílio de helicópteros para tentar estabilizar a região. De acordo com investigações policiais, os dois grupos paramilitares disputam a exploração de negócios irregulares que, segundo estimativa da Polícia Civil, gera uma arrecadação mensal em torno de R$ 10 milhões.

A maior parte deste dinheiro vem da cobrança de taxas impostas aos motoristas de vans. Só com o pagamento feito pelos profissionais do transporte alternativo, os milicianos arrecadam mensalmente uma quantia estimada em torno de R$ 2 milhões. No último dia 16 de setembro, homens do grupo de Danilo Tandera atacaram áreas dominadas pela milícia rival em pontos dos Bairros de Santa Cruz, Paciência, Jardim Palmares e Campo Grande. Na ocasião, seis vans foram incendiadas pelo grupo invasor. O episódio deixou ainda seis assassinatos num espaço de seis dias.

A queima de vans teria sido uma tentativa de pressionar os motoristas do transporte alternativo a pagarem taxas para o grupo de Tandera. Os profissionais do volante que atuam na região são obrigados a pagar por cobranças irregulares feitas pelo bando de Luiz Antônio da Silva Braga, o Zinho.

Zinho e Tandera chegaram a fazer parte de uma mesma milícia, mas um desentendimento provocou um racha no fim de 2020. Os dois grupos disputam áreas na Baixada Fluminense e na Zona Oeste do Rio.

Os dois milicianos estão com as prisões preventivas decretadas pelo Tribunal de Justiça do Rio e são considerados foragidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos